Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Libolo vence depois de sofrer

11 de Outubro, 2016

A jogar em casa e diante o seu público o campeão somou mais três pontos.

Fotografia: M.Machangongo

O Recreativo do Libolo venceu ontem, em Calulo, o Recreativo do Libolo por 1-0 e conservou o segundo lugar da classificação geral. Assim, a equipa do Cuanza Sul mantém-se na luta pelo título, que é travada nesta ponta final por três equipas, sendo as outras duas o 1º de Agosto e o Petro de Luanda.

À partida, o jogo não foi fácil em face da resistência oferecida pela equipa do Huambo, que soube posicionar-se bem na quadra, cortando, quando pudesse, as linhas de passe da formação local. A primeira parte por exemplo foi de uma acentuada correlação de forças entre as duas formações.

A turma campeã nacional pode ter acusado alguma pressão psicológica, uma vez que jogava em função do resultado dos seus concorrentes na luta pelo título, e sabia à partida que um resultado que não fosse uma vitória seria comprometedor às suas aspirações. Pareceu-nos que a equipa do Huambo deu conta desta situação e procurou explorá-la a seu favor.

Mais do que isso, o Caala estava confiante por nunca ter saído do campo de Calulo vergado ao peso da derrota. Esta particularidade, parecendo que não dá sempre um certo conforto, embora saibamos que não há tradição que não seja quebrada, e como acabou por acontecer.

Para a segunda metade do jogo as equipas reentraram com a mesma determinação, procurando cada uma explorar convenientemente o último reduto adversário. Nada estava facilitado, quer para a equipa de casa quer para equipa visitante. À página tantas, as coisas foram apontando para uma igualdade no jogo ou uma vitória que podia resultar de um golo de uma ou de outra equipa.


O golo do Libolo surgiu na sequência de uma grande penalidade assinalando bola à mão de um defensor do Recreativo da Caala. Luís Filipe chamado a cobrar o castigo máximo não claudicou, devolvendo à sua equipa ânimo e esperança de continuar a lutar pelo título, embora houvesse ainda muito tempo para se jogar.

Entretanto, motivados com o golo os pupilos de Paulo Costa partiram para uma gestão inteligente do jogo, anulando quase todas as jogadas de ataque da turma do Huambo, conseguindo chegar aos 90 minutos em posição vantajosa. Mesmo assim, devemos dar mérito à equipa do Huambo, que apesar de tudo soube valorizar o espectáculo.