Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Lder da APF confiante na conquista de ttulos

Benigno Narciso, no Lubango - 27 de Junho, 2019

Militares da Regio Sul terminaram o campeonato de 2018/2019 na terceira posio

Fotografia: Aro Martins, Edis Novembro

O presidente da Associação Provincial de Futebol da Huíla (APFH), João Gonçalves, considerou, no Lubango, que o feito inédito do Desportivo da Huíla, ao classificar-se na terceira posição do Girabola Zap 2018/2019, demonstra que com mais apoios, os clubes da região podem disputar, em pé de igualdade, os títulos da primeira divisão e da Taça de Angola com os “grandes” do desporto-rei nacional.
“O que o Desportivo fez na última época, veio demonstrar que com mais apoios das empresas, forças vivas, estruturas governamentais e privadas da província, há sucesso. Quer dizer que com mais contribuições e esforços, podemos jogar e disputar os títulos do Girabola e da Taça de Angola. Saímos em terceiro e fomos à final da Taça de Angola. A prova está aí, é possível”, considerou.
O líder máximo do órgão que superintende o futebol na Huíla, disse que o Desportivo alcançou tal proeza, terceira posição, a sua melhor classificação de sempre na história, com uma equipa integrada por 90 por cento de atletas formados no clube, o que, no seu entender, constitui factor de atracção aos potenciais apoios e patrocínios.
Desafiou a classe empresarial, instituições públicas, pessoas singulares e outras forças vivas da província a se juntem à causa, com apoios dentro do possível e disponível, de modos a que as representantes da província disputem o Girabola Zap com ambições focadas na conquista do título.
“É só organizarmos mais um bocado, haver mais um pouco de força, apoio material e financeiro, chegamos lá. Não chegamos lá porque? Chegamos!”, considerou.
Referiu que  governador provincial da Huíla, Luís Nunes, fez um grande esforço e conseguiu colmatar algumas dificuldades, que o Desportivo sentia e os resultados estão aí, terceira posição no Girabola e final da Taça de Angola. O apoio da entidade máxima da província, na visão de João Gonçalves, é um gesto que deve ser seguido para que as embaixadoras huilanas no Girabola Zap passem de equipas que lutam pela permanência, para aspirantes ao ceptro.
Enalteceu a direcção do Desportivo da Huíla, qualificou-a de competente, dinâmica e jovem, que racionaliza os recursos e não esbanja.
“Há um mínimo de apoio, um esforço muito grande, por parte do senhor governador da província da Huíla, para tentar ajudar a colmatar algumas dificuldades que o Desportivo sentia e os resultados estão aí. Há realmente também uma boa direcção, nova, dinâmica, com jovens e que sabe poupar, não esbanja, por isso os resultados estão à vista”, enalteceu.
A formação afecta à Região Militar Sul, com o técnico angolano Mário Soares no comando, superou com a honrosa terceira posição, fruto de 50 pontos, a então melhor campanha da equipa na prova, que era a sexta colocação obtida no Girabola de 2013.