Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Lder procura conforto

14 de Agosto, 2016

Agostinos tm misso complicada esta noite no estdio 11 de Novembro no encerramento da ronda em que o campeo derrotou a guia da capital

Fotografia: Jos Cola

A pressão exercida pelo Recreativo do Libolo sobre o 1º de Agosto, ambas equipas têm agora 43 pontos, pode ser fatal para a formação militar que joga esta noite, a partir das 18h00, no estádio 11 de Novembro, diante do Recreativo da Caála.

O campeão, num electrizante duelo, fez antecipadamente a sua tarefa no confronto diante do Benfica de Luanda, triunfo por 3-2, por isso vai obrigar com que os militares tracem as melhores posições para que regressem à forma inicial, ou seja, manter a vantagem de três pontos sobre os libolenses.

Para tal, os militares que na ronda passada caíram na emboscada montada pelos lundas nas Mangueiras, não podem obter outro resultado que não seja a vitória, muito mais porque na próxima jornada, em Calulo, defrontará o Recreativo do Libolo no principal jogo da 22ª jornada.

Motivos mais do que suficientes para que a equipa de Dragan Jovic soe as estopinhas em busca de mais um triunfo para não chegar à vila de Calulo nas mesmas condições que o campeão. Uma missão nada impossível, porém, difícil, uma vez que os caalenses desde que Alberto Cardeau assumiu o comando da equipa têm feito um campeonato irrepreensível.

O facto de o Recreativo da Caála ter sido a equipa que na sexta jornada quebrou o ciclo vitorioso do 1º de Agosto no campeonato, triunfo por 2-0, é outro grande interesse do jogo desta noite. Um sentimento de ambição e desforra, embora os militares rejeitam que seja um duelo de ajustes de conta. 
Ainda assim, a experiência do plantel, os objectivos que perseguem na competição e por jogarem em casa, dão favoritismo aos militares no jogo ante um adversário que, certamente, não vai marcar presença no 11 de Novembro para facilitar a vida ao líder.

Tarefa facilitada tem o Kabuscorp do Palanca, quarto classificado com 32 pontos, no duelo ante o 1º de Maio de Benguela (13º posto /20), às 15h00, no estádio dos Coqueiros.

A repartição de pontos na deslocação ao Lubango na ronda passada, diante do Desportivo da Huíla, atrasou os palanquinos na perseguição aos seus objectivos. Situação que Romeu Filemon espera não repetir ante um candidato que não é do seu "campeonato" e que espera contrariar ao máximo os intentos do Kabuscorp para sair da "zona vermelha" em que se encontra no campeonato.

Regressar às vitórias, depois de três empates consecutivos, é a meta do Progresso Sambizanga na recepção a Académica do Lobito. Os 8 pontos de vantagem dos sambilas (27/19) lhe dão favoritismo no jogo que acontece às 15h30, no estádio da Cidadela.

Mas não se pensa que para o Progresso vai ser apenas chegar, ver e vencer. Nada disso. Os estudantes com certeza que vão procurar ao máximo estorvarem as intenções dos sambilas no sentido de desafogarem a situação precária na tabela de classificação.


1º DE AGOSTO
Filipe Nzanza afasta ajuste de contas


O técnico-adjunto do 1º de Agosto, Filipe Nzanza, afastou qualquer sentimento de ajuste de contas no desafio de hoje, às 18h00, no estádio 11 de Novembro, diante do Recreativo da Caála. O treinador militar assumiu apenas a ambição pela conquista dos três pontos no jogo da 21ª jornada do Girabola Zap.

Os militares perderam pela primeira vez neste campeonato diante dos caalenses, por 2-0, daí que o desafio ganha particular interesse por este facto.

"Vai ser um jogo difícil, complicado, porque vamos jogar contra uma boa equipa, na segunda volta só perdeu diante do Benfica e aqui em Luanda empatou com o Interclube e o Petro, mas vamos fazer tudo para ganhar o jogo", disse Filipe Nzanza, em conferência de imprensa, na última sexta-feira, no ex-RI20.

"Acho que não. É uma equipa como qualquer outra do Girabola que pode ganhar ao 1º de Agosto. Na primeira volta perdemos por 2-0, nós neste momento não podemos pensar em ajuste de contas, mas em ganhar os três pontos", defendeu.

O antigo médio militar e da Selecção Nacional admitiu as dificuldades de vencer as equipas que lutam pela permanência, mas considerou que têm de mostrar em campo o seu favoritismo.

"Neste momento na segunda volta, as equipas mais aflitas complicam os grandes, connosco não foge à regra, porque elas mostram mais luta contra nós e é sempre difícil enfrentar estas equipas que lutam para não descer de divisão. Mas nós é que temos de ter os argumentos para vencer estes adversários, porque temos os nossos objectivos bem definidos", apontou.

A derrota inesperada na jornada anterior, frente ao Progresso da Lunda Sul, já foi digerida pela formação rubro-negra, que se encontra motivada, de acordo com Filipe Nzanza.

"Os jogadores reagiram bem depois da derrota, estamos sempre a conversar com eles, estamos à frente da classificação, perdemos um jogo mas o moral da equipa está boa para este desafio", disse.

O técnico adjunto minimizou os golos que têm sofrido dizendo que " a nossa defesa não é frágil, todas equipas sofrem golos, o Libolo, o Petro, mas o mais importante é que os nossos avançados estão a marcar mais golos este ano e estão de parabéns por isso", concluiu.


MÉDIO MILITAR
Jumisse reforça vontade de vencer


O médio defensivo Jumisse manifestou a vontade da equipa do 1º de Agosto voltar às vitórias hoje à noite na recepção ao Recreativo da Caála. O moçambicano garantiu que o moral do grupo está em alta.

"A disposição está igual aos outros jogos, estamos a encarar este desafio com o mesmo objectivo de ganhar para continuarmos na liderança do campeonato, que é o nosso principal objectivo", disse.

Analisando a redução da diferença pontual entre as equipas do campeonato, o jogador agostino considerou que "é um sinal positivo do Girabola Zap, demonstra a competitividade do campeonato, mas se estivemos a ganhar por 20 pontos seria o ideal para nós, mas o mais importante é que estamos à frente", apontou.

O camisola 15 minimizou os pontos perdidos pela equipa, preferindo concentrar-se no que vem a seguir, sempre a pensar em superar os adversários.

"Os empates e derrotam acontecem a qualquer equipa, nós tínhamos vindo de um empate contra o 4 de Abril, depois fizemos um excelente resultado frente a Académica, agora viemos de uma derrota, mas estamos concentrados nos nossos objectivos", minimizou.

Avaliou ainda pela positiva o conjunto da Vila da Caála, dizendo que "acho que eles têm uma boa equipa, um bom meio-campo e um bom ataque.

Aliás, as equipas do Girabola Zap têm bons jogadores no meio-campo e no ataque, por isso, criam dificuldades aos defensores".

O jogador que actua numa posição mais defensiva disse não estar muito preocupado em marcar golos, mas em ajudar a equipa a vencer, desempenhando bem o seu papel.

"Não estou muito preocupado em fazer golos, fico satisfeito quando a equipa ganha, sei as minhas responsabilidades dentro do campo, não é a minha missão fazer golos, mas se surgir a oportunidade naturalmente irei aproveitar, mas fico satisfeito quando a equipa ganha", finalizou.                                                     JN