Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Liderana em jogo

Paulo Caculo - 14 de Março, 2020

Militares tm hoje mais uma rdua tarefa na busca incessante pela recuperao da liderana

Fotografia: Agostinho Narciso | Edies Novembro

A recepção do 1º de Agosto ao FC Bravos do Maquis do Moxico, hoje, às 17h00, no estádio 11 de Novembro, representa o "prato quente" e mais apetecível do dia, referente à 24ª jornada do Girabola Zap.
Frente-a-frente estarão duas equipas com objectivos e percursos totalmente distintos: os militares estão na segunda posição, com 48 pontos, perseguem a conquista do título e vêm de resultados intermitentes, enquanto os maquisardes ocupam o terceiro posto, com 40, ambicionam como meta a consolidação da actual posição.
Com oito pontos a separar uma equipa da outra, a alimentar ainda a expectativa e previsão de bom espectáculo, está o facto de em caso de derrota, os militares verem-se muito mais pressionados pelo seu antagonista desta tarde, pois uma vitória coloca os maquisardes a distância de cinco pontos da vice-liderança.
A verdade é que, embora seja atribuído ligeiro favoritismo ao 1º de Agosto, sobretudo em virtude do bom momento de forma do FC Bravos do Maquis e da perda de consistência dos militares, o histórico de confronto pende para o equilíbrio. E como não existem jogos iguais, o confronto desta tarde assume cenários de desfecho imprevisível.
A equipa militar precisa de se manter na senda das vitórias, para afastar a pressão que paira sobre o plantel, a escassas duas jornadas do clássico frente ao crónico rival Petro de Luanda. E olhando para o elevado estado anímico dos maquisardes, não se adivinha facilitada a tarefa dos campeões nacionais em título em superar mais esta barreira.
Para hoje, estão igualmente agendados mais dois jogos. No estádio de Calulo, às 15h00, o Recreativo do Libolo, pressionado com a derrota na ronda anterior, recepciona o Cuando Cubango FC, um adversário a viver tempos de aflição na penúltima posição da classificação e a precisar de pontos como do "pão para a boca", na luta pela sobrevivência no campeonato.
O estádio do Tafe acolhe, às 15H00, o duelo entre os "aflitos" Sporting de Cabinda e Santa Rita de Cássia. Os católicos revelam-se incapazes de deixar a cauda da classificação, razão pela qual estão condenados a passar o tempo de calculadora nas mãos. Mais um embate complicado para o conjunto do Uíge que, a jogar fora de casa, está obrigado a justificar que não chegou ao principal campeonato de futebol do país por mero acaso.