Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Mabululu decide drbi

Jorge Neto - 14 de Outubro, 2019

Jogo de cartaz da ronda correspondeu a expectativa

Fotografia: EDIES NOVEMBRO

A expectativa vivida antes do dérbi valeu a pena, pois tanto o 1º de Agosto como o Interclube apresentaram um bom espectáculo, com uma vitória pela margem mínima. O golo de Mabululu, de grande penalidade, confirmou o histórico positivo dos militares diante dos polícias, mantendo a invencibilidade pelo menos desde 2016.
No inicio, o domínio do jogo pertenceu aos agostinos, que tiveram mais posse de bola e jogavam no meio-campo do adversário, mas sem criar grandes situações de perigo a baliza de João Baptista, permitindo um certo ascendente aos polícias, obrigando Tony Cabaça a fazer grandes defesas.
O dérbi foi disputado com grande ritmo na primeira metade, com as duas equipas a apostarem no ataque, sem querer ser submissa uma de outra. Os militares terão acusado a ausência de Ary Papel, pois faltava mais agressividade na zona central do ataque, mas foram criando perigo pelos extremos, onde Mongo, Isaac e Nelson da Luz faziam cruzamentos para a grande área.
Do lado dos polícias, Mano Calesso e Dasfaa davam dores de cabeça ao último reduto dos militares e obrigavam os defensores a aplicarem-se, para evitar o pior para a sua baliza, e quando conseguissem passar, lá estava Tony Cabaça para negar o golo.
Quando se pensava que as equipas iriam para o intervalo em branco, Mongo cruzou e, por infelicidade, Mira travou a trajectória da bola com a mão, um gesto que o árbitro António Dungula sancionou com o castigo máximo. Chamado a cobrar aos 42´, Mabululu colocou a sua equipa no comando.
No reatamento, os polícias mexeram no xadrez com a entrada do avançado senegalês Ben Traoré, que já representou os militares, e conseguiram duas situações de grande perigo. Na primeira Mano Calesso mandou a bola para o poste e na segunda, Kaya obrigou Tony Cabaça para a defesa da tarde.
Os pupilos de Bruno Ribeiro corriam atrás do prejuízo e jogavam mais no meio-campo do 1º de Agosto e Ben Traoré aos 70´, testou a segurança de Tony Cabaça, com uma defesa segura. O desafio estava lançado, com os dois conjuntos a imprimirem uma boa dinâmica, onde as oportunidades surgiam para ambos os lados.
Os dois técnicos revitalizaram as suas equipas, com jogadores que conseguiram manter o ritmo do jogo, mas não tiveram o mérito de alterar o resultado feito com o golo de Mabululu, apesar de Jaredi ter obrigado Tony Cabaça a mais uma grande defesa, através de um livre directo.

Arbitragem
Sem influência

O trabalho do árbitro António Dungula não teve influência no resultado. O juiz esteve certo ao assinalar a grande penalidade causada por Mira e cobrada com êxito por Mabululu aos 42´. Apesar disso, ficou por advertir com a cartolina amarela os jogadores das duas equipas em lances merecedores deste tipo de sanção, tendo começado apenas a mostrar os cartões na segunda parte.


Melhor em campo
Segurança de Tony Cabaça

O guarda-redes Tony Cabaça foi fundamental no triunfo do 1º de Agosto sobre o Interclube, com defesas que garantiram a vantagem magra conseguida ainda no primeiro tempo. Em tarde de inspiração, o camisola 12 militar negou, em várias ocasiões, o golo aos avançados da formação da polícia, que tentaram de diversas formas, quer por via de remates em jogo corrido ou através de bolas paradas. O atleta voltou a transmitir confiança aos seus colegas, com a segurança que lhe é característica.


Ivo Traça • Adj. 1º de Agosto
"Valeu a pena a vitória"


"Foi um jogo muito táctico. As duas equipas encaixaram-se uma na outra e não conseguiram fazer o que pretendiam. Não arriscaram muito, mas nesta fase temos de procurar pontuar e foi o que fizemos. Não recuamos em nenhum momento do jogo, ganhámos e dou os parabéns aos jogadores pelo resultado. De qualquer forma, valeu a pena a vitória e agora vamos descansar, para preparar o jogo com a Caála no domingo".

Ivo Campos  • Adj. do Interclube
"Fizemos um bom jogo"


" O mais simples é dizer, que foi um grande jogo de futebol. Foi um desafio entre uma equipa grande e outra que tenta jogar de igual para igual com os grandes. Dizer que fizemos um bom jogo, e não é qualquer equipa que vem aqui e faz o que nós fizemos. Montamos uma estratégia que surtiu o efeito, porque o 1º de Agosto teve dificuldades para fazer o seu jogo no meio-campo e conseguimos dominar em várias momentos do jogo".