Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Machado promete trabalho para a permanncia

21 de Outubro, 2016

Trabalho o segredo da formao do Cuando Cubango que luta para continuar no Girabola

Fotografia: Miqueias Machangongo

O técnico do 4 de Abril do Cuando Cubango, único clube desportivo representante da província no campeonato nacional de futebol da primeira divisão, Girabola2016, apontou quarta-feira, em Menongue, a disciplina táctica e comportamental dos atletas, bem como a união no seio do conjunto, como sendo os pontos fortes do desempenho da sua equipa.

Em declarações à Angop, João Machado afirmou que mercê da dedicação, trabalho abnegado e espírito de equipa, o 4 de Abril tem enormes possibilidades de garantir a manutenção na prova maior de futebol nacional, uma vez que já conta com 30 pontos na tabela geral de classificação, numa altura em que ainda faltam três jornadas a disputar.

"Já chegamos aos 30 pontos, atrás de nós existem três equipas, uma a seis e outra a sete pontos. A outra com 18 está praticamente na segunda divisão (Porcelana do Cuanza Norte). Uma das duas poderá se decidir esta semana porque vão jogar entre elas (Académica e 1º de Maio) ”, explicou.

Reconheceu que na próxima jornada a sua equipa terá de enfrentar o Kabuscorp, que, de acordo com o técnico, é superior teoricamente na condição financeira e no plantel de atletas, mas que na primeira volta também perdeu no estádio municipal de Menongue, por 1-3. Por isso, prometeu, a equipa do 4 de Abril vai continuar a trabalhar arduamente na possibilidade de pontuar em Luanda, para que os atletas fiquem mais seguros quanto ao objectivo da permanência no Girabola.

Realçou que o segredo para as boas exibições do clube, é o trabalho e o empenho dos atletas que a equipe técnica teve a sorte de os encontrar e treinar.

“Isto é trabalho conjunto, mas o mérito e o êxito da equipa vai todo para os atletas do 4 de Abril”, reconheceu, tendo assegurado que a equipa está psicologicamente bem, mas está a espera que haja, da parte da direcção do clube, um incentivo para levar a porto seguro a empreitada. Disse que o 4 de Abril é um clube que não tem estrelas individuais, mas tem valor no seu conjunto.

“As estrelas são eles todos, baseia-se não em valores individuais, mas num conjunto, por isso o êxito da equipa é o conjunto que tem. Eles conseguiram formar nesta equipa uma família”, sublinhou, tendo, na ocasião, apontado a fraca consistência administrativa como sendo o ponto fraco da equipa.

Com 27 jogos realizados, a equipa somou 30 pontos, fruto de seis vitórias, nove derrotas e doze empates, tendo marcado 21 golos e sofrido igual número.

 

TAÇA "INDEPENDÊNCIA"
Equipas de Luanda organizam torneio


Seis equipas luandenses que militam no Campeonato Nacional de Futebol da Primeira Divisão, vulgo Girabola, designadamente ASA, Benfica de Luanda, Interclube, Petro de Luanda, Progresso do Sambizanga e 1º de Agosto acordaram a partir deste final do campeonato, a realização de um torneio da modalidade, designado por "Taça Independência".

A prova visa cobrir o vazio deixado pelo Girabola, em função do seu término que por norma ocorre no fim do mês de Outubro de cada ano, bem como rodar os atletas que ao longo da época fazem parte do plantel, mas que são pouco utilizados e testar a capacidade de outros jogadores que pretendam integrar as equipas na época seguinte.

De acordo com uma nota em posse do Jornal dos Desportos, o torneio obriga-se às normas técnicas emanadas pela Federação Angolana de Futebol (FAF), e pelo órgão que superintende a modalidade a nível internacional.

Para além das instituições acima referidas, a competição terá ainda o suporte técnico da Associação Provincial de Futebol de Luanda (APFL), que será responsável pela planificação, calendarização de jogos e execução de todos outros aspectos ligados à prova.

O acto de apresentação do torneio decorreu ontem quinta-feira, pelas 16H00, na sala de reuniões da sede do Interclube,  sita no bairro Rocha Pinto, e contou com a presença dos presidentes Alves Simões, Elias José, e Tomás Faria, bem como Manuel Dias dos Santos "Kito",  vice-presidente do Progresso do Sambizanga e Victor Garcês, secretário-geral da APF de Luanda.

Na ocasião, o Benfica de Luanda não esteve representado e os dirigentes presentes rubricaram um acordo de protocolo, no qual dão a validação da intenção dos respectivos clubes participarem na referida festa futebolística.

O torneio vai ser de carácter anual e pode evoluir para o resto do país, caso os clubes de outras províncias assim o entendam.
AUGUSTO PANZO