Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Machado quer equilbrio

Betumeleano Ferro - 28 de Junho, 2016

Joo Machado elogia plantel

Fotografia: Jornal dos Desportos

O técnico da equipa do 4 de Abril do Cuando Cubango, João Machado, pediu cinco reforços à direcção do clube, para a segunda volta do Girabola ZAP. O treinador assegurou ao Jornal dos Desportos, que a entrada de novos jogadores pode equilibrar em definitivo o plantel.

"Queremos colmatar o que não temos na nossa equipa, entreguei uma lista à direcção, a pedir que se contratem certos atletas", garantiu.Sem mencionar nomes, o técnico de 66 anos de idade, revelou que precisa de reforçar todos os sectores da equipa, para ter mais opções.

"Eu sou apologista de dois jogadores por cada posição, é por isso, que aguardo pela chegada de um guarda-redes, dois laterais (direito e esquerdo), um médio esquerdo e um ponta-de-lança", anunciou.

A questão financeira impediu João Machado de ter o plantel recheado, na primeira volta, agora ele mostra-se esperançado em ver as coisas evoluírem de maneira favorável. "Para ser sincero, eu  não sei se vamos ter reforços, o nosso grande problema é  falta de dinheiro, mas se a direcção  resolver esta questão, vamos colmatar todas as limitações que temos", prognosticou.

O treinador do 4 de Abril aguarda por um sinal positivo da direcção, para ter tempo suficiente de entrosar os reforços, antes do início da segunda volta.
"Fizemos o nosso pedido em tempo oportuno, tenho uma reunião com a direcção, com o propósito de analisarmos esta e outras questões, a única coisa que posso garantir, é que precisamos de mais jogadores para a segunda volta", afirmou.

A equipa do Cuando Cubango amealhou 16 pontos , durante as 15 jornadas da primeira volta. A prestação do 4 de Abril, segundo João Machado, talvez fosse outra, se o plantel tivesse outra qualidade.

"Jogámos toda a primeira volta, só com um defesa direito, um defesa esquerdo, um médio esquerdo, e um avançado. Com estas limitações não tínhamos outra solução, senão improvisar em várias situações, porque não tínhamos mais outras opções", lamentou.O plantel do 4 de Abril está a corresponder às expectativas, mas João Machado mostra-se convencido de que é preciso sangue novo, até para retirar alguma pressão ao próprio plantel.

"Repare que só temos neste momento, dois guarda-redes, se um deles se magoar, ficamos com um, agora imagine o que pode acontecer nas posições em que só temos um jogador, está claro que os meus atletas consentiram sacrifícios para mantermos os níveis da equipa", concluiu.

RECONHECIMENTO
"Jogadores são heróis"


A equipa do 4 de Abril, único representante do Cuando Cubango no Campeonato Nacional de Futebol da Primeira Divisão, não tem nomes sonantes, mas quem os treina há 4 anos vê um grupo de guerreiros persistentes, com enorme vontade de vencer todo o tipo de obstáculos.

"Os meus atletas são verdadeiros heróis, é por causa deles que estamos na primeira divisão, mas as pessoas não imaginam  quantos sacrifícios os meus jogadores têm feito, todos os êxitos que obtivemos até agora, é mais deles", enalteceu João Machado.O técnico mencionou as longas distâncias percorridas por estrada, porque os jogadores queriam chegar ao Girabola Zap.

"As pessoas não imaginam, o que é isto, às vezes tínhamos de jogar nas províncias distantes como a Malanje ou de Luanda, todas as semanas saíamos para jogar fora, porque não podíamos jogar em nossa casa", lembrou.

A formação do Cuando Cubango, sétimo classificado da tabela de classificação do Girabola Zap, com 16 pontos, defronta o Petro Atlético de Luanda no dia 9 de Julho, no Estádio de Menongue, jogo a contar para a 16ª jornada (primeira da segunda volta) da competição.

Começar a segunda volta com vitória é o objectivo dos "homens da paz," no duelo com a formação tricolor da capital.


MANUTENÇÃO
Treinador reforça ambição

A época de estreia do 4 de Abril, na primeira divisão, decorre sem sobressaltos. Os 16 pontos somados, permitem ao técnico João Machado, ver o antegosto da permanência no Girabola ZAP.

"O nosso objectivo contínua a ser o mesmo, a manutenção, o que fizemos até agora reforça a nossa intenção de evitar a despromoção", mostrou-se optimista.
O percurso do 4 de Abril no campeonato está a ser feito de maneira tranquila, a equipa ganhou muito pouco na primeira volta, só em três ocasiões, mas também não perdeu muito, cinco derrotas, pelo que são os sete empates, que estão a fazer a diferença.

"Se a memória não me trair, então é mesmo verdade, que do 7º ao 12º lugar em que nos encontramos, não se nota muita diferença pontual, há somente três pontos a separar-nos do 7º lugar", elogiou.

Como o Girabola ZAP está em fase de balanço, da primeira volta, João Machado afirma que o 4 de Abril luta com tudo o que tem para garantir a manutenção, sem precisar de esperar pelas últimas jornadas.

"Até agora, as nossas aspirações não foram beliscadas, o objectivo contínua na mesma, ainda dependemos de nós para continuarmos no Girabola", enalteceu.
O técnico João Machado, 66 anos de idade, está a cumprir a última época da carreira iniciada em 1982, este é outro aliciante que aumenta a ambição do treinador em manter a equipa na primeira divisão.

"As pessoas não imaginam os sacrifícios da direcção, dos jogadores e dos meus colaboradores fazemos, para chegar até onde estamos. Tudo estamos a fazer para que a minha despedida ocorra dentro do que preconizamos, a manutenção da equipa no Girabola ZAP", afirmou.
BF