Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Maio e Acadmica afinam estratgias

Jlio Gaiano - Benguela - 19 de Abril, 2018

As formações da Académica do Lobito e do 1º de Maio de Benguela definem as estratégias a atacar para a 11ª jornada do GirabolaZap2018, agendada para o  fim-de-semana, em que se prevêem dificuldades e complexidades em função dos adversários a defrontarem nas empreitadas. Os estudantes lobitangas deslocam-se à cidade capital ao encontro dos sambilas, ao passo que os proletários recebem os maquisardes no Estádio municipal Edelfride Palhares da Costa “Miau”, em Benguela.

O triunfo da passada jornada, elevou os ânimos das equipas benguelenses que esperam repetir a proeza diante dos respectivos adversários, que até certo ponto, estão a realizar uma campanha aceitável e podem constituírem obstáculos para os intentos preconizados nas referidas missões. Vencer e continuar acesa a luta pela manutenção, é o principal objectivo traçado pelas direcções das colectividades benguelenses, daí, o interesse em triunfar nos respectivos desafios.

Na verdade, não se afigura disputa facilitada, pelo facto dos adversários a defrontarem, Progresso – Académica do Lobito e 1º de Maio de Benguela – Bravos do Maquis, por que são exímios no rigor táctico defensivo, sobretudo, quando forem os primeiros a marcar. Dificilmente, se deixam bater com facilidade, daí, que todo o cuidado é pouco para se livrarem das intempéries que possam surgir nessas contendas.

Se a Académica do Lobito está um tanto ou  quanto lançada na corrida pela manutenção, o mesmo não se deve falar do 1º de Maio de Benguela que procura estabilizar-se na tabela da classificação geral. 

Por isso, vencer na recepção à formação do Moxico, constitui um acto imperativo. É uma incumbência de todo difícil, se levarmos em conta que o adversário vem de um triunfo moralizador frente ao Progresso do Sambizanga, que recebe a Académica e que promete não facilitar. Para os lobitangas, o importante é não perder, para  manterem-se longe da linha vermelha e depressa vencerem a batalha da permanência.

À entrada da 11ª jornada, a Académica do Lobito ocupa a 2ª posição com 17 pontos, fruto de cinco vitórias e dois empates. Para além de perderem em três ocasiões, os estudantes marcaram oito vezes e sofreram sete golos.

 Quanto à formação proletária, com dois jogos por realizar com o 1º de Agosto (2ª jornada) e o Petro de Luanda (3ª jornada), ocupa a penúltima (15ª) posição com 9 pontos, resultante de 2 vitórias, 3 empates e quatro derrotas. Marcou 11 golos e sofreu 13.

Em caso do triunfo, no desafio do fim-de-semana, o 1º de Maio de Benguela soma 12 pontos e alcança o FC Bravos do Maquis na 10ª posição, isto é, torce por derrota do Cuando Cubango FC (11ª/11 pontos) frente ao Kabuscorp do Palanca (4ª/15), Recreativo da Caála (12ª/11) – Petro de Luanda (5ª/14), Sagrada Esperança (6ª/14) – Sporting de Cabinda (13ª/10). Para  a Académica do Lobito, o empate serve para as contas, pese embora, seja pretensão do colectivo somar três pontos.