Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Mano Calesso comanda Kabuscorp

Manuel Neto - 29 de Agosto, 2016

Plantel do Kabuscorp depende da eficcia do seu nmero 18 que tem se evidenciado nos ltimos jogos do Girabola

Fotografia: Nuno Flash

O Kabuscorp do Palanca continua a depender esta época da inspiração e a eficácia do médio Mano Calesso, o marcador de serviço da equipa com seis golos apontados, relegando para o segundo plano os atacantes.

A entrada da  23ª jornada do Girabola Zap, o atleta tem se evidenciado no plantel palanquino e é já o abono de família do conjunto às ordens de Romeu Filemon. A meia dúzia de tentos concretizados coloca o baixinho no leque de jogadores na perseguição ao líder.

Com apenas dois golos na segunda volta do campeonato nacional o médio teve a sua maior produtividade na arranque da prova, tendo marcado quatro golos, diante do Desportivo da Huíla, Atlético Sport Aviação  (ASA),  Interclube e  1º de Agosto.

Com um sector atacante pouco produtivo e que não tem contribuído para o objectivo definido, Mano voltou a fazer gosto ao pé neste segundo turno da prova frente a formação da Académica do Lobito e diante da equipa do Estrela Clube 1º de Maio de Benguela.

O empenho e a contribuição do atleta que tem alternado a titularidade com o banco, continua a ser uma mais valia para a equipa de Bento Kangamba. Não é por acaso que dos 23 golos que a equipa apontou, seis são de sua autoria.

A seguir as peugadas do melhor marcador do kabuscorp encontra-se o jovem Fundo Martins, promovido esta época. Apesar de ser a sua primeira experiência no Girabola Zap, o garoto segue atrás de Mano Calesso com três golos.

A eficácia e o engodo pela baliza do médio palanquino, relega para o segundo plano, atletas como Chole, Bruno e Abianda, atacantes que o clube contratou com o propósito especifico de fazerem golos, mas não têm sido eficiente para cumprirem com este desiderato.

A liderança de Mano Calesso em termos de golos na equipa, demonstra claramente que os palanquinos esta época estão com défice de um marcador de serviço, responsabilidade que há dois anos era assumida pelo atacante Albert  Meyong  Zé.

O camaronês que em três épocas consecutivas sagrou-se melhor  marcador do campeonato nacional com 20 golos em 2013 e 17 golos em 2014, a sua saída deixou uma brecha no ataque do Kabuscorp.

ROMEU FILEMON
"Vamos melhorar
as nossas falhas"


O técnico Romeu Filemon, reconhece que o plantel palanquino continua apresentar muitas deficiência nos seus variados sectores com realce para o atacante e promete muito trabalho para inverter o quadro.

"Sabemos que estamos a falhar em determinados sectores, mas  não vamos desistir do nosso trabalho árduo que passa pela melhoria das falhas  que  ainda persistem e  acredito que isso vai passar", revelou o treinador preocupado com ineficácia dos atacantes.

Consciente do potencial dos seus atletas e da responsabilidade que têm, mantém viva a esperança de inverterem o quadro nos próximos jogos. "Continuamos incisivos na nossa tarefa para inversão da situação actual", asseverou o técnico. 

A média de um golo por jogo deixa a equipa com poucas possibilidades de manter vivo o objectivo de assaltar a liderança, por isso, os próximos pode ser determinantes para Romeu Filemon e seus atletas.

O Kabuscorp tem apenas mais cinco tentos que o Gelson, o melhor marcador com 18, uma clara demonstração da pouca produtividade dos atacantes. Contudo, o timoneiro dos palanquinos mantém a confiança e acredita na melhoria da finalização.