Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Mano decide de penlti victria dos palanquinos

Jorge Neto - 23 de Abril, 2016

derrube de Lami, na grande rea por Gaca

Fotografia: Jornal dos Desportos

A marcação de uma grande penalidade por Mano, médio ofensivo do Kabuscorp do Palanca, decidiu, pela margem mínima, o resultado do dérbi entre aviadores e palanquinos, ontem no Estádio dos coqueiros, em jogo que contou com uma boa plateia nas bancadas, mas com um futebol muito táctico.

As duas equipas começaram por optar pelo estudo mútuo, evitando arriscar o ataque rápido e apostando no ataque continuado, por vezes muito previsível, fazendo com que os defesas se superiorizassem facilmente aos avançados. Nas bancadas, os adeptos maioritariamente afectos a equipa do Kabuscorp agitavam as bancadas, para motivar os seus jogadores, mas dentro do campo se via uma partida não muito atractiva em termos de espectáculo, apesar da entrega que os atletas procuravam demonstrar. Aos 25´Kanku Tresor tentou a sorte numa cabeçada que o guarda-redes Maguette tratou de defender com bastante segurança, impedindo com que o avançado palanquino festejasse. Três minutos depois foi a vez do defesa central Bobo elevar-se mais do que os centrais aviadores, mas cabeceou rente ao poste da baliza.

Nesta etapa a formação orientada por Miller Gomes estava mais próxima de marcar e aparecia com maior facilidade no último reduto do ASA, que sacudia a pressão tentando sair em contra-ataque, mas sem grande sucesso. Fruto disso, os palanquinos adiantaram-se no marcador aos 45´, através de uma penalidade convertida por Mano, a sancionar o derrube de Lami, na grande área por Gaca, que o árbitro Osvaldo Félix não deixou passar em branco. Este resultado levou as equipas ao intervalo.

SEGUNDA PARTE
No reatamento, antes dos quinze minutos, os dois técnicos reforçaram o meio campo com o intuído de segurar mais a bola e ter algum domínio no jogo. Minguito e Mpele Mpele foram os escolhidos de Robertinho e de Miller Gomes.

Os jogadores aviadores ainda reclamaram dois penaltes, mas o árbitro Osvaldo Félix não teve a mesma opinião e deixou seguir os lances para o desalento da formação do aeroporto, que apostou na paciência para tentar chegar ao golo, porém, não chegou a acontecer. Fukiamuana que entrou no segundo tempo, disperdiçou uma oportunidade flagrante de ampliar a vantagem dos palanquinos, mas deslumbrou-se e permitiu a defesa de Maguette aos 84´, quando estavam “cara a cara”.