Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Manucho Barros promete golos

07 de Abril, 2015

MANUEL  NETO

O atacante Manucho Barros do Progresso Associação do Sambizanga, com  apenas um golo à entrada da sétima jornada do Girabola, disse ontem, ao Jornal dos Desportos, que está  mais aguerrido, quer nas sessões de treino quer nos jogos no sentido de inverter o quadro.
Manucho admite  que o apoio dos colegas é imprescindível, para que o sonho se realize porque “ os golos fazem parte da vida de qualquer atleta com  particular realce para os pontas de lanças e eu não fujo à regra, devo dizer que, para que tal aconteça, é necessário que haja  colaboração de todos e com um trabalho abnegado acredito que  tudo pode surgir com a maior naturalidade.
O jogador alerta que um  ponta de lança não deve apegar-se  apenas aos golos, quando não pode marcar deve  também dar aos outros  a marcar, realizar dignas assistências, porque a seu ver esta  maneira de estar no futebol é muito útil para  o engrandecimento do grupo”. Manucho Barros tranquiliza os adeptos do clube  pela fraca produtividade do grupo neste inicio da época, pedindo  paciência e solidariedade, sobretudo nesta fase.
“Temos uma grande equipa técnica, que apesar de termos começado mal, trabalha arduamente para os objectivos que pretendemos. É preciso um pouco de paciência porque com esta postura batalhadora quer da direcção, técnicos e atletas,  acho que as  coisa podem mudar para o melhor a breve trecho”, disse. Manucho prevê um Girabola muito competitivo, a julgar pelo preocupação das  equipas na arrumação dos seus planteis. “Acho que temos pela frente um campeonato muito competitivo, porque a cada dia que passa nota-se uma grande preocupação das equipas quer na selecção, como na estruturação dos seus planteis”.
“Isso demonstra que as equipas apostam seriamente na competitividade  e  leva-nos a  perspectivar uma grande competição e  acredito que a melhor forma de concorrer com elas  passa por uma boa organização interna conjugado com um árduo trabalho”, acrescentou.

QUALIDADE
Avançado valoriza
a fase de formação

Manucho Barros recorda com nostalgia a fase de formação na Sécil Marítima e  no Petro de Luanda, que a seu ver foi uma mais valia para a sua carreira. “A formação é uma fase imprescindível para qualquer desportista, nesta fase aprende-se de tudo um pouco, até a formação integral do  homem. Por isso, considero uma fase inesquecível”, disse sorridente.
O avançado explicou que depois de iniciar a formação na Sécil continuou no Petro de Luanda até sénior onde, algum tempo depois, foi emprestado por seis meses ao Progresso do Sambizanga, mas para ele  a passagem pelo Santos FC já como sénior foi a mais marcante.  
“A passagem pelo Santos FC foi a mais marcante porque foi lá onde comecei a marcar muitos golos, fazer muitas  amizades e também  onde pude me encontrar pela primeira vez com Mário Calado”, disse Manucho Barros.
“Com ele conquistei uma Taça de Angola, uma Super Taça e um quarto lugar  no Girabola de 2009 e por pouco não fomos as meias finais nas competições africanas por termos perdido  com uma equipa da Argélia por 6-0, pelo facto de  termos chegado à meia noite à Argélia e não pudemos descansar. Em suma, tenho  boas recordações daquele clube que extinguiu os seniores”, acrescentou Manucho Barros. MN

TITULARIDADE
“Eu tenho respeito
aos concorrentes”

O ataque do Progresso possui jogadores experientes, que podem fazer mossa a Manucho Barros, como são os casos de Yano e Luís, mas o jovem diz estar atento à concorrência e acredita fortemente no potencial que reúne.
“Yano é um atleta  de quem tenho um grande respeito, trabalhamos juntos há dois anos. Por isso, admiro muito a sua postura, mas é verdade que joga  quem estiver melhor, o Luís é um jovem que ultimamente tem aparecido bem na linha da frente e merece também o seu respeito. Em suma tenho um grande respeito aos  concorrentes”, disse.
 O atleta sambila, adiantou que apesar de existir concorrência, a equipa não deve se rever apenas nos ponta de lança mas na sua plenitude.“ A equipa deve se valer pelo seu conjunto e não pela forma individual ou apenas nos seus atacantes. Por isso, temos o dever de respeitar todos os colegas, sobretudo os  mais experientes. Mas isso não retira a minha grande vontade de me empenhar na procura de  um lugar na equipa principal. Vou continuar firme e atento  em busca  da titularidade”, disse.
O atleta acha que o grupo reúne  bons atletas que bem trabalhados também podem contribuir  com golos.”Acho que a linha média do progresso tem bons executantes e com o trabalho sério  que a equipa técnica tem feito  estes podem aparecer  com boas finalizações para gáudio do conjunto”,disse.