Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Manucho Dinis fala do clássico

Jorge Neto - 09 de Setembro, 2017

Experiente médio garantiu que a preparação decorreu sem sobressaltos

Fotografia: José Soares |Edições Novembro

O médio defensivo do 1º de Agosto, Manucho Dinis, considera decisivo o clássico de hoje às 17h00, no Estádio 11 de Novembro, diante do Petro de Luanda, por influenciar as contas finais do Girabola Zap, e daí ser importante conquistar a vitória.

“Em princípio é mais um jogo, mas decisivo. Lembro-me que em 2015 terminamos com os mesmos pontos que o Libolo (60), falhámos o campeonato porque perdemos no Libolo, e empatamos em nossa casa, se ganhássemos os dois jogos, seríamos os campeões.

Quando se luta para o título, é sempre bom ter mais vitórias em relação aos adversários directos, porque nas contas finais, isso influencia", disse o jogador.

O experiente médio garantiu ontem, que a preparação durante a semana decorreu sem sobressaltos, os jogadores estão compenetrados em fazer um resultado positivo.

"Está a correr tudo bem, estamos preparados, são três pontos que vamos disputar no domingo, estamos concentrados, é um dérbi, estamos a trabalhar como sempre fazemos, com muita alegria e determinação, com muita honra a defrontar o Petro.

Sabemos que é um adversário que está a nossa frente, com dois pontos a mais, e tudo vamos fazer para ganhar e passar à frente na classificação", defendeu. Manucho Dinis afastou a ideia da equipa utilizar o Estádio França Ndalu para fugir a pressão dos adeptos, justificando com a melhor condição da relva no futuro campo do conjunto militar"Acho que não, antes mesmo deste jogo já estávamos a trabalhar no Estádio França Ndalu, porque o outro terreno estava duro, e provocava muitas lesões, o treinador preferiu treinar naquela relva, e não tem nada a ver com fugir à pressão", justificou.

Por participar em muitos clássicos, o experiente jogador acredita que é nos detalhes que está a receita, para se ganhar o clássico."São grandes jogos, temos de estar concentrados, ganha-se nos detalhes, quem menos errar vai ganhar o jogo. Sabemo que o Petro está num bom momento de forma, e nós também, não me lembro de um dérbi com as  duas equipas separadas por um ponto e a lutar pelo título, mas o nosso objectivo é ganhar", analisou.

Manucho Dinis apelou à presença em massa dos adeptos, que puxem pelas duas equipas sem vandalismos, e desejou que no final a sua equipa seja a vencedora.

"Peço ao público, tanto do 1º de Agosto como do Petro, que apareçam em grande número, cada um puxe pela sua equipa, mas com "fair- play", nada de vandalismo, somos adversários e não inimigos, aplaudam quem ganhar, espero que seja o 1º de Agosto", concluiu.