Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Manutenção com jogos aliciantes

27 de Agosto, 2017

Jogos entre aflitos centraliza atenção no despique para manutenção

Fotografia: José Soares

Com tudo o que precisa no plano teórico para ter uma tarde tranquila, o CRC tem de acautelar-se, pois, o excesso de confiança pode terminar com um resultado indesejável diante de um modesto adversário e complicar as suas aspirações.

O milagre da manutenção está complicado, mas os católicos querem rezar até onde der, pelo que a equipa da casa tem de jogar até construir um placar favorável. Relaxar antes de alcançar uma vantagem confortável é capaz de aumentar as esperanças dos forasteiros de petiscar alguma coisa no Huambo.

O Caála estava a caminhar bem no campeonato, mas depois foi ao encontro da sua sina. A capacidade de voltar a fazer boas coisas ainda está presente, contudo, é importante que contra o Santa Rita não aconteça mais o mesmo que aconteceu contra o JGM, porque os adeptos podem não voltar a perdoar outra prenda indigesta.

Sem tempo para perder o foco até porque os jogos vão ser em simultâneo, o Académica do Lobito tem a árdua tarefa de fazer o FC Bravos do Maquis cair no Buraco, desde que não recorra a métodos ilegais. Os estudantes estão cientes da necessidade de somarem os três pontos para manter viva a esperança da permanência.

Os maquisardes estão sobreaviso e têm a faca e o queixo na mão, mas os 90 minutos vão provar se têm apetite para comer. A equipa orientada por Zeca Amaral está tranquila, ainda assim tem de mostrar bravura para impedir que a sua inércia resulte em algo de bom para os estudantes. Desesperados como eles estão, a equipa da casa é bem capaz de aproveitar bem todas as sobras que a formação do Leste desperdiçar.

Se dependessem de si, o Desportivo da Huíla e o 1º de Maio de Benguela escolheriam um outro dia para jogar, ainda assim, há motivos para esperar que o jogo menos atractivo da tarde anime quem for ao Ferrovia. As tranquilas posições que ambos contendores ocupam na classificação obriga a olharem também para a exibição e não podem se desculpar com a importância dos pontos, pois, estão distante da zona de descida.

Uma vitória do Desportiva da Huíla nada vai ter de especial e a inversa também é verdadeira. O escasso ponto que os separa é o que vai espicaçar as duas equipas. Os proletários vão ao Ferrovia em vantagem na classificação e se for eficiente pode abrir uma diferença confortável de quatro pontos, mas o querer dos benguelenses choca com o dos militares da Região Sul que, a jogar em casa vão tentar fazer pela vida para vencer e ultrapassar o concorrente na classificação.