Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Maqui quer fazer histria

Armando Sapalo, no Dundo - 15 de Outubro, 2015

Zoran Maki espera merecer a confiana da direco do Sagrada Esperana

Fotografia: Jornal dos Desportos

Com um Girabola e duas Supertaças ganhas, títulos conquistados ao serviço do Kabuscorp do Palanca e do 1º de Agosto na condição de treinador-adjunto, Zoran Maki sonha em vencer no dia 31 do corrente, no estádio 11 de Novembro, a final da 34ª edição da Taça de Angola em futebol, quando defrontar o FC Bravos do Maquis.

O treinador do Sagrada Esperança, em declarações ao Jornal dos Desportos, disse que almeja fazer história em Angola, mas a concretização deste grande desejo passa por conquistar a segunda maior competição futebolística do país (Taça de Angola), único troféu que falta na sua folha de serviço.
“A Taça de Angola é o único troféu que ainda não conquistei desde que estou aqui há seis anos, já fui campeão do Girabola pelo Kabuscorp do Palanca, onde ganhei também uma Supertaça, competição que já tinha ganho na minha passagem pelo 1º de Agosto. Portanto, tenho esta oportunidade de fazer história no futebol angolano ”, disse.

Com base nisso, depois da folga de quatro dias concedida ao plantel, em função do fecho das cortinas do Girabola 2015, a equipa técnica diamantífera começa hoje de manhã, a afinar as estratégias para uma boa exibição e a conquista da Taça de Angola. A soberana oportunidade que o conjunto Lunda tem de levantar o troféu de uma das competições mais cobiçadas pelos clubes do futebol angolano, é a ambição que o treinador Zoran Maki tem já esboçado no “ bloco de notas” para transmitir aos seus pupilos.

O treinador do Sagrada Esperança disse ter confiança na qualidade do plantel às suas ordens, aliás, isso ficou patente nas derradeiras jornadas do recém-terminado Girabola em que demonstrou ter um grupo forte e bastante comprometido com a dimensão e história do clube e que valeu a permanência na “ fina flor” do futebol nacional.  Contudo, Zoran Maki reconhece que numa final não existem “ protegidos nem privilegiados”, porque neste tipo de jogos, o favoritismo é sempre repartido em 50 por cento para cada lado.

“ Estamos com esta ambição de vencer a Taça de Angola, mas também temos consciência que, numa final não existem protegidos nem privilegiados, por isso o favoritismo é sempre repartido em 50 por cento”, disse, reconhecendo que o FC Bravos do Maquis é um adversário bastante difícil, por isso o Sagrada Esperança deverá encarar com muita precaução.

Treinador quer cumprir projecto

O técnico Zoran Maki, cujo contrato de trabalho de oito meses, assinado com a direcção do Grupo Desportivo Sagrada Esperança ainda na primeira volta do Girabola 2015 (na 10ª jornada), termina dias depois de disputar a final da Taça de Angola, espera merecer a confiança dos dirigentes diamantíferos para prosseguir com o projecto do representante da Lunda Norte na alta competição do futebol nacional.

“ O meu contrato termina no final desta época, alguns dias depois do final da Taça de Angola (está marcada para o dia 31 do corrente), depois disso voltaremos a sentar para a conversa. Não sei qual vai ser a decisão dos dirigentes do clube, porque tudo é possível, mas espero merecer a confiança para continuar à frente da equipa técnica e prosseguir com os projectos do Sagrada Esperança” , disse.

O técnico, justifica o desejo de merecer o aval positivo da direcção do conjunto diamantífero, por ser na sua opinião uma instituição séria, sustentável, organizada e com uma estrutura forte e que oferece excelentes condições de trabalho ao treinador. De acordo com Zoran Maki, a par das condições de trabalho colocadas à disposição da equipa, o Sagrada Esperança possui também uma boa massa associativa e adeptos, cujo apoio prestado ao grupo apresenta-se como factor incentivador para qualquer treinador a trabalhar ao serviço do clube.

“Além das excelentes condições de trabalho que são colocadas à disposição do plantel pela direcção do clube, o Sagrada Esperança é uma agremiação desportiva com uma boa massa associativa e adeptos que incentivam qualquer treinador a aceitar o desafio de trabalhar nesta instituição”,concluiu Zoran Maki.   
AS