Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Maquis sem dinheiro para segunda volta

Betumeleano Ferro - 21 de Junho, 2015

O campeonato nacional pode perder um dos tradicionais inquilinos por falta de dinheiro para continuar na prova

Fotografia: Jos Cola

FC Bravos do Maquis pode desistir do Girabola por falta de dinheiro para custear o que resta da temporada, disse, ontem, ao Jornal dos Desportos, uma fonte afecta a direcção do clube maquisarde.

A fonte salientou que a reserva esgotou no primeiro trimestre do ano em curso e neste momento estão limitados, apesar do esforço empreendido para encontrarem uma solução e evitar que a única equipa sobrevivente do Moxico no Girabola desista da prova.

"A nossa reserva financeira esgotou no mês de Março. Ainda assim, tentamos encontrar várias soluções mas sem sucesso. Pode parecer caricato, mas a verdade é esta, não estamos em condições de continuar a competir", assegurou.

Segundo o JD apurou, a direcção maquisarde contactou pessoas dentro e fora da província para obter ajuda financeira, mas todas as tentativas acabaram em fracasso. "Infelizmente, não conseguimos nada, pois, ninguém nos quer  apoiar. Por incrível que pareça, nem sequer tivemos qualquer promessa, enfim, não há luz no fundo do túnel", lamentou a nossa fonte.

A Caixa Social das FAA, de acordo o interlocutor do JD, o patrocinador oficial, retirou todo o apoio ao clube sem qualquer aviso prévio a direcção, no sentido desta prevenir-se e encontrar alternativas para fazer face ao quadro negro que se advinha.

"Tudo aconteceu de repente. Estávamos prestes a embarcar para o estágio, quando fomos informados de que nos iam retirar todo o apoio. As coisas aconteceram tão rápido sem nenhum tipo de explicação", referiu. O dirigente lamentou a forma extemporânea como o patrocinador retirou o apoio financeiro ao clube. "Preparamos toda a época 2015 em função do orçamento que temos recebido, de repente não tínhamos mais pernas para andar, nem tivemos tempo para procurar alternativas", deplorou.

Os reais motivos do recuo do patrocinador têm originado muitas especulações no Luena, mas a nossa fonte descartou a possibilidade de se trata de "uma zanga entre compadres", embora reconheça que a Caixa Social das FAA, se mostra insensível ao momento actual da equipa.

"Tudo o que se fala, não passa de especulação porque se há culpados então que sejam afastados de imediato da direcção do clube, para que possamos continuar a competir", argumentou.   Antes do término da primeira volta, o empresário Santos Bikuku prometeu sair em socorro do Maquis, mas demora em honrar com sua palavra, lamentou a fonte do JD. "Ele tinha  prometido a quantia de um milhão de dólares, mas até agora não recebemos ajuda que ele prometeu", garantiu.




PROFISSIONALISMO
Plantel mantém
a mesma coesão


 O plantel contínua a "trabalhar de maneira árdua" apesar de não receber salários há quatro meses, apurou, ontem, o Jornal dos Desportos. Os atletas imbuídos no espíritos profissional e de amor ao clube trabalham "por amor" à camisola.

"A atitude profissional dos nossos treinadores e atletas é digna de registo. o clube está em falta com todo o plantel, mas continuam empenhados como se nada de anormal estivesse a acontecer", enalteceu.

O técnico Vítor Manuel foi elogiado pela nossa fonte pelo facto de continuar a cumprir com o mesmo empenho as suas obrigações, atitude que considerou estar a contagiar todo o plantel maquisarde.

"A maneira como o nosso técnico está a lidar com a situação está a ser determinante para a coesão do grupo de trabalho. Ele e os adjuntos estiveram um tempo em Portugal e nós não tínhamos como comprar os bilhetes de regresso", ressaltou.

Explicou que foi graças a um gesto de caridade que os treinadores regressaram." Foi uma pessoa amiga que nos socorreu,  sabendo da nossa situação financeira. Em momento nenhum nos pressionou, pelo contrário, prometeu aguentar até a direcção concluir que não há mais solução", elogiou.