Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Matador solta

Jorge Neto - 11 de Abril, 2016

Militares tiveram atitude competitiva no principal jogo da stima jornada do Campeonato Nacional de Futebol da Primeira Diviso

Fotografia: Santos Pedro

A grande atitude do 1º de Agosto foi determinante para derrotar ontem à noite, no 11 de Novembro, o Recreativo do Libolo, por 3-1, num desafio que foi de encontro às expectativas dos adeptos do futebol. O hat-trick de Gelson acabou com a invencibilidade do campeão nacional no Girabola Zap, com uma
convincente exibição.

As duas equipas entraram dispostos a marcar cedo, mas foram os rubro-negro quem mais criaram oportunidades de golo, porém, muito perdulários, com Ary Papel a desperdiçar várias ocasiões frente ao guarda-redes Ricardo Baptista. Do lado dos libolenses Luiz Phellype não deixou os seus créditos em mãos alheias e
importunou o guarda-redes Dominique, inclusive com um remate ao travessão.

Com o passar do tempo os agostinos tomaram conta do jogo e os visitantes perderam-se por alguns momentos em campo, não conseguiam sair a jogar com a bola controlada, perdiam muitas jogadas e permitiam ao adversário armar os ataques pelas alas, onde Ary Papel aparecia com grande perigo.

Todavia, depois de tanto avisar os pupilos de Dragan Jovic adiantaram-se no marcador, aos 33´, através de Gelson, numa jogada individual com um remate do “meio da rua”, na primeira situação de remate à baliza de Ricardo Baptista.

No reatamento, o técnico João Paulo Costa, insatisfeito com o que aconteceu na primeira metade, operou a primeira mexida no seu conjunto. A entrada do avançado Diawara para o lugar do lateral direito Pataca demonstrava bem o que pretendia o técnico libolense: a reviravolta.

Contudo, os militares que não haviam mexido na equipa, viram o adversário com uma atitude diferente, mais ofensiva, à procura do golo, mas tal não chegou a acontecer, em função da atenção demonstrada pelo guarda-redes militar.

E como à noite era mesmo do jovem Gelson, o avançado agostino voltou a fazer gosto ao pé, aos 63´, após receber um passe longo de Buá, bateu na corrida Dário e diante de Ricardo Baptista rematou a contar. 

Depois disso, o jogo caiu numa toada em que os libolenses corriam atrás do prejuízo e a equipa técnica esgotou as substituições, no intuito de diminuir a desvantagem no marcador, mas as coisas não estavam fáceis, pois os militares tapavam com rigor e disciplina os caminhos para a sua baliza.

Não foi por falta de remates que o Recreativo do Libolo não marcou, mas pela grande atitude que teve o guarda-redes Dominique, esteve muito seguro entre os postes, negando o golo a Luiz Phellype, Fredy e a Wires.

Os pupilos de Dragan Jovic mostravam muita determinação e Gelson, sem meias medidas, fez o hat-trick, aos 86´, após uma assistência de Ary Papel, enquanto do lado da formação da Vila de Calulo, o senegalês Diawara descontou aos 98´.

ARBITRAGEM

Trabalho aceitável


O árbitro José Álvaro não teve influência no resultado, mas pela pressão do jogo em várias ocasiões recorreu aos cartões amarelos para segurar o desafio. Demonstrou autoridade e não comprometeu. Acompanhou de perto as jogadas e esteve bem auxiliado pelos seus assistentes nas situações de fora-de-jogo, apesar de que nem todas tivessem sido. Ainda assim, ficamos com a ideia de ter perdoado um penálti ao 1º de Agosto, na primeira parte, quando o guarda-redes Dominique empurrou um atleta do Libolo na grande área.
Tirando isso, soube dignificar o apito e cumpriu com a tarefa dada pelo Conselho Central de Árbitros da FAF, daí que os intervenientes ao jogo não teceram quaisquer comentário sobre o trabalho realizado.

MELHOR EM CAMPO

Hat-trick de Gelson


O avançado Gelson, do 1º de Agosto, foi o destaque no desafio de ontem à noite, no 11 de Novembro, no dia em que marcou o primeiro hat-trick da carreira. O artilheiro militar foi um autêntico pesadelo para os defesas libolenses, pois não conseguiram travá-lo nas jogadas de contra-ataque e no jogo individual. A pontaria de Gelson esteve afinada e não deu nenhuma hipóteses aos seus marcadores directos e ao guarda-redes Ricardo Baptista. A eficácia do camisola 27 rubro-negro foi decisiva para a equipa agostina que vinha de uma derrota na jornada anterior e precisava de mostrar que aquela situação pertencia ao passado.

OPINIÃO DOS TÉCNICOS
“Ganhámos  equipa forte”


Filipe Nzanza
1º de Agosto“
- O 1º de Agosto sabia que não seria fácil, enfrentamos uma equipa forte e ganhámos uma boa equipa. Soubemos aproveitar as oportunidades que criámos e quando assim é só temos de dar os parabéns aos nossos jogadores. Treinámos bem para este jogo, não contávamos que o Gelson fosse marcar três golos, porque o nosso principal objectivo era conquistar os três pontos. Vamos tentar continuar a jogar desta forma e estar na liderança do campeonato para no final sermos campeões”.


João Paulo Costa 
Libolo - “Adversário
foi mais eficaz”

“A equipa criou muitas situações de golo, mas não conseguimos aproveitar e o 1º de Agosto foi mais feliz e ganhou. Dou valor ao que a minha equipa fez neste jogo, só que em alta competição é isto, ganha quem melhor aproveita as ocasiões que cria. Tivemos algumas lesões inesperadas e tivemos de dar a volta por cima, mas fomos menos eficazes do que o nosso adversário”.