Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Mau clima no Lobito

04 de Agosto, 2016

Ataque militar provocou mau ambiente nas hostes da formao da Acadmica do Lobito

Fotografia: Jos Soares

A pesada derrota sofrida frente ao 1º de Agosto no jogo da décima nona jornada do Girabola Zap 2016, destapou um enorme buraco no seio da Académica do Lobito. Questões como a falta de dinheiro, mau ambiente reinante no seio do grupo, aliado ao desrespeito às normas e regulamentos impostas no clube são levantadas com alguma insistência nos bastidores.

Os membros da direcção clube, apesar da 'tempestade que inundou' a cidade do flamingo, afirmam ser cedo demais para accionarem o alarme. Por isso, pedem calma e ponderação a todos apoiantes do clube, pois, entendem que nada ainda está perdido.

Os dirigentes defendem que enquanto faltarem 11 jornadas nada ainda está perdido. “Estamos a atravessar uma fase difícil na competição, mas temos a certeza de que vamos sair desta, pois, a equipa trabalha sem constrangimentos e tudo estamos a fazer para vencer a crise de resultado que atravessamos. Há confiança e espírito de crença a reinar no seio do grupo”, justificou Duarte Adriano "Esquerdinho", director-geral da Académica do Lobito.

Garantiu que os problemas que assolaram o plantel estão ultrapassados e auguram dias melhores. “Tivemos alguns percalços e podem crer que o problema está ultrapassado, e a partir do jogo contra o FC 4 de Abril, do Cuando Cubango, as coisas serão diferentes e a alegria pode voltar a fazer morada no seio da massa associativa do clube”, acrescentou.

O director-geral da Académica do Lobito garantiu ao JD que a equipa técnica dirigida por António Lopes "Chiby" continua a merecer a atenção e o carinho da direcção, contudo, reconhece ser necessário aprimorarem e privilegiar alguns aspectos com destaque para o factor psicológico, no sentido de elevar os ânimos dos jogadores que se degrada jornada após jornada.

“É uma tarefa que exige esforço de todos ligados à causa da Académica do Lobito. Neste momento de crise, julgamos irrelevantes criticarmos. A equipa precisa de estabilidade emocional para se reencontrar, por isso, devemos ter o cuidado quando abordarmos sobre assuntos que cheira a mentira e boatos”, precisou.

O nosso interlocutor  reagiu, assim, rumores que davam conta de uma possível resistência passiva dos atletas, em protesto pela falta de pagamentos de salários dos últimos dois meses, além do incumprimento de parte de contratos com os atletas, alguns deles fundamentais na manobra do conjunto.