Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Mdico rubro-negro apela ao fair - play

Jorge Neto - 07 de Julho, 2016

Responsvel da equipa mdica militar apela no sentido de os atletas evitarem entradas duras

Fotografia: M. Machangongo

O médico da equipa do 1º de Agosto, Abel Sanz apelou ao fair play das equipas adversárias, no sentido de evitar entradas violentas que coloquem em risco a integridade física dos jogadores.

O chefe do departamento médico da equipa militar, falava em defesa dos jogadores agostinos que sofreram lesões nestas circunstâncias, e para que situações do género não aconteçam na segunda volta do Girabola Zap.

"Infelizmente, temos atletas habilidosos, que têm a capacidade de driblar o adversário e fazer jogadas em que escapam, são apanhados com muita violência e infelizmente nem sempre é punida, como deve ser", disse ao canal televisivo do clube. 

"Isso, faz com que jogadores com muita qualidade estejam indisponíveis, não só para o nosso clube, mas para a selecção de Angola e outros clubes", acrescentou. O médico cubano é de opinião, que deve haver uma defesa ao espectáculo, e inverter o quadro anormal dos jogadores, contraírem mais lesões nos jogos em relação aos treinos. 

"O jogo bonito deve ser defendido, por todos os actores, que têm a ver com isso, e nós os médicos estamos a notar que estão a lesionar mais os jogadores nos jogos do que nos treinos, o que não é normal. Porque primeiro, treina-se muito mais do que se joga, cinco ou seis vezes por semana, e joga-se apenas uma vez por semana. Segundo, a cada dia os treinos tendem a ser o mais parecido aos jogos para que o jogador chega ao jogo com toda a dinâmica que se precisa", disse Abel Sanz.

Explicou que ainda, que "por esta razão,  no mundo os atletas lesionam-se três a quatro vezes mais nos treinos do que nos jogos. Mas o nosso caso, é ao contrário, os nossos atletas  lesionam-se mais nos jogos do que nos treinos", analisou o especialista, pediu mais atenção da FAF em garantir a qualidade da relva dos campos, de modo a evitarem-se lesões acidentais "pode-se contrair uma lesão no tornozelo caso pise num buraco, e outras coisas mais", concluiu.