Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Meio-campo da equipa est fragilizado

Augusto Panzo - 16 de Abril, 2016

Atltico Sport Aviao (ASA) tenta amanh em Benguela conquistar a vitria no duelo diante do Estrela Clube 1 de Maio

Fotografia: Nuno Flash

O treinador do Atlético Sport Aviação (ASA), Roberto do Carmo “Robertinho”, cuja equipa defronta amanhã, às 16h00, no estádio Edelfride Costa, o 1º de Maio de Benguela,  no prosseguimento da oitava jornada do campeonato, que abre hoje à tarde, manifestou preocupação com o sector intermédio, em função das fragilidades que se registam naquela zona do plantel no decurso dos jogos.

Robertinho, e curta entrevista que concedeu ontem ao Jornal dos Desportos, disse que o meio-campo aviador precisa de um jogador que saiba fazer uma boa marcação a partir daquela zona, de maneira a dificultar a transições ofensivas dos adversários.

“O sector que está a me preocupar mais neste momento é exactamente na parte defensiva do meio-campo. O Gerry, que é o jogador escolhido para desempenhar aquela função, tem a característica de muita força na marcação, o que dá segurança aos nossos defensores. Infelizmente ele não tem estado a jogar nos últimos tempos, devido a problemas de saúde”, explicou.

Como solução para remediar essa fragilidade, o treinador do clube do aeroporto disse estar em curso um processo de treinamento de outro jogador que, na óptica de Robertinho, tem vindo a dar mostras de boa actuação.

“Temos trabalhado muito no sentido de ultrapassar essa situação e felizmente já conseguimos uma solução boa, depois do regresso do Milex, que vem dar esse equilíbrio de que tanto precisamos”, revelou.  A par disso, o treinador do ASA agradeceu a Deus, pelo facto ter descoberto o jovem Josemar, outro jogador que vem demonstrando boas referências.

“Devo igualmente dar graças a Deus, devido à descoberta e introdução do Josemar no plantel, um jogador que se tem revelado muito forte, bom e com um futuro promissor. Está a nos ajudar muito nestes últimos jogos”, disse.

Ainda assim, o treinador do ASA admite que o jovem jogador precisa de mais experiência e rodagem, para que se torne realmente num grande talento.”

O Josemar é um jogador do futuro, mas logicamente precisa de mais experiência e rodagem, como se diz na linguagem desportiva. É um jogador que tem força, muito rápido na sua forma de actuação e com muita personalidade”, esclareceu.


Trabalho
Aviadores realizam
último treino hoje


Com a viagem para Benguela marcada para amanhã de manhã, dia do jogo, a equipa do ASA efectua hoje à tarde, no seu campo, a última sessão de treino, cuja missão fundamental se resume num trabalho mais de carácter psicológico do que técnico e táctico.

Roberto do Carmo "Robertinho", o homem que conduz a "nave" do aeroporto pretende fazer esquecer aos seus pupilos, o último desaire consentido nos Coqueiros, diante do Desportivo da Huíla, pelo que terá de introduzir na mente dos mesmos, o espírito ganhador, para o jogo de amanhã frente ao 1º de Maio de Benguela. Aliás, o treinador manifestou essa preocupação, revelando que em todos os jogos, o lado emocional reveste-se de muita importância.

"Sempre tenho dito às pessoas que o lado emocional é muito importante antes, durante e depois do jogo. Para mim, isso chama-se equilíbrio e as equipas que jogam em sua casa, bem como aquelas que o fazem fora do seu reduto devem ter esse equilíbrio. O ASA no caso concreto, tem vindo a se preparar há bastante tempo neste aspecto. Estamos já na segunda época, ou seja há um ano e seis meses a trabalharmos juntos. Então, essa é uma vertente bem acautelada", afirmou.

Robertinho revelou que, para que os jogadores consigam pôr em prática tudo aquilo que se treinou durante os micro-ciclos, é necessário que eles tenham o espírito tranquilo.

"Quer se jogue em casa ou fora dela, o equilíbrio e o factor emocional é muito importante, para que os jogadores consigam desenvolver tudo aquilo que é treinado ao longo da semana, ou seja a estratégia que foi programada e treinada tem ser executada. Para que tal aconteça, é preciso que a cabeça do jogador esteja boa", acrescentou.  
AP