Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Militares acertam polcias no 22 de Junho

Valdia Kambata - 09 de Março, 2020

Camarons marcou um golao na vitria no duelo de ontem

Fotografia: Contreiras Pipa| Edies Novembro

O tetracampeão 1º de Agosto, pressionado pelo resultado obtido na véspera pelo principal rival na luta pelo título, entrou para o "dérbi fardado", diante do Interclube, com a convicção de que tinha que fazer tudo para conquistar os três pontos. Com esta certeza, os militares assumiram logo o controlo da partida e aos 5 minutos, tiveram a primeira grande oportunidade para inaugurar o marcador, quando Paizo assistiu Mabululu, porém o guarda-redes Jerson esteve atento e evitou o pior.
Os polícias entraram para este jogo meio apáticos, por isso pouco ou nada faziam para contrapor a ofensiva militar. Aproveitando o domínio do jogo, o campeão, bem organizada no terreno de jogo, "alugou" o terreno do adversário e Atouba, do meio campo, rematou forte e bateu o guarda-redes Jerson. Um "senhor" golo e que despertou os adeptos militares presentes no estádio 22 de Junho.
O golo sofrido acabou por despertar a equipa de Ivo Campo. Ou seja, os polícias se organizaram e partiram à procura do golo do empate e quase conseguiam. Primeiro por Jaredi, que depois de uma assistência de Mano Calesso, não conseguiu bater Tony Cabaça. A segunda grande chance teve com protagonista Mano Calesso, que isolado não conseguiu controlar a bola, perdendo, deste modo, uma outra grande oportunidade para travar o campeão. 
Os militares, mais tranquilos, procuravam sempre que podiam, criar perigo à baliza adversária. Mongo, dentro da grande área, depois de uma assistência de Paizo, rematou ao lado, deixando incrédulo todos os seus colegas e equipa técnica. Contudo, a insistência do ataque militar voltou a dar resultado. Depois de um contra ataque, conduzido por Mabululu, este cruzou para Zito Luvumbo, que na grande área só teve o trabalho de empurrar a bola para o fundo da baliza, isso aos 22 minutos de jogo.
Com vantagem na primeira metade, tudo indicava que o 1º de Agosto apareceria mais forte para consolidar a sua posição no terreno de jogo. Puro engano. O que se viu foi um Interclube completamente transfigurado e a assumir por completo o jogo. A entrada do trio Coxe, Dasfaa e Carlinhos, deu outra dinâmica à equipa do Rocha Pinto.
O médio ofensivo Paty era o mais inconformado da equipa dos polícias. Em diferentes momentos do jogo, assustou a equipa militar com vários remates, porém teve Tony Cabaça como grande opositor.
Já no final da partida, os polícias perderam uma soberana oportunidade de marcar, quando num cruzamento de Carlinhos, Ito, diante da baliza militar e já com Tony Cabaça batido, não conseguiu empurrar a bola para fundo da baliza.
Com isso os militares asseguraram os três pontos, alimentando ainda mais a corrida pelo penta.

Declarações dos Técnicos(Interclube)


“Foi um grande jogo”


\"Foi triste, mas a rapaziada não merecia. Acho que é importante realçar que foi um grande jogo, com uma equipa a dominar, mas é preciso ter mérito. Tivemos oportunidades, chegámos a estar isolados, mas na baliza esteve um grande Toni Cabaça, que não permitiu-nos marcar. Pressionámos o 1º de Agosto, encostámos o adversário às cordas e foi um jogo interessante para as pessoas reverem\".   

Ivo Traça (1º de Agosto)
"Estamos vivos"

"Estamos vivos e vamos lutar até ao final. Foi um bom jogo, entre duas boas equipas que se apresentaram muito bem, mas fomos mais felizes. Fizemos os golos nos momentos certos e, no segundo tempo, só foi gerir o resultado. Sabíamos que o Interclube iria cair por cima de nós, mas fomos mais fortes. Parabéns aos jogadores e também ao Interclube, que ajudou a valorizar a nossa vitória"”.

 ARBITRAGEM
Trabalho regular


O trio de arbitragem, encabeçado pelo benguelense António Dungula, fez um trabalho regular. Ainda que no capítulo disciplinar o juiz deixasse transparecer, em alguns períodos do jogo, a ideia de condescender com infracções, tal atitude não mancha um trabalho realizado. Tecnicamente esteve muito bem no ajuizamento das jogadas. A expulsão de Isaac não sofre qualquer contestação, já que o jogador do 1º de Agosto fez por merecer a acumulação de cartões, que ditou o seu afastamento do jogo.