Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Militares afastam a presso

Pedro Augusto e Manuel Neto - 25 de Abril, 2016

1 de Agosto teve capacidade de sofrimento para conquistar os trs pontos ontem noite no estdio 11 de Novembro no confronto com o Porcelana FC do Cazengo

Fotografia: Paulo Mulaza

A missão do 1º de Agosto em conquistar os três pontos no duelo com o antepenúltimo colocado do Girabola Zap, o Porcelana FC do Cazengo, esteve em riso. Ou seja, a equipa às ordens de Dragan Jovic por pouco dividia pontos com os cuanza-nortenhos no fecho da nona jornada do campeonato. Mas não seria por falta de competência que os militaras falhariam o alvo. Nada disso.

O sofrimento dos militares tem nome e rosto: José Maxia. O árbitro do jogo, muito mal acompanhados pelos seus assistentes, principalmente Diogo João, que chegaram ao 11 de Novembro com a lição bem preparada, quase matavam a estratégia gizada pelo comandante do campeonato.  Duas jogadas que resultariam em golos, marcados por Ary Papel, e outras tantas perigosas foram anuladas por fora-de-jogo que não existiram.

Ainda assim, os militares tiveram capacidade para chegar à vitória. Faltavam apenas 10 minutos para o término do jogo, quando o nigeriano Ibukun, com colaboração do central Megue, do Porcelana do Cazengo, tratou por repor a legalidade na partida.

O jogo, tal como se previa, começou com sinal mais para o 1º de Agosto. Na condição de líder e dono da casa, os militares tinham a obrigação de fazer melhor do que o Porcelana, antepenúltimo colocado do campeonato. Se bem pensaram, melhor fizeram, embora tiveram pela frente duas fortes barreiras: a equipa de arbitragem e a bem arrumada equipa de Luís Mariano.

É verdade que não foi só o trio de arbitragem que atrapalhou o jogo do 1º de Agosto. Luís Mariano foi astuto na forma como montou a estratégia para abordar o duelo com os militares.  Mesmo assim, os agostinos acabaram por marcar primeiro, por Ary Papel, aos 36´, após passe de Gelson. Foi o apagar do erro anterior, pois, minutos antes, a estrela agostina havia falhado um penálti ao atirar a bola para fora.

O resultado com que terminou a primeira parte, vitória por 1-0, não dava segurança aos militares, por isso procuraram pelo golo da tranquilidade.  O 1º de Agosto tentou várias vezes, porém, o árbitro José Maxia e o assistente Diogo João não deixam. Ou anulavam as jogadas ou invalidavam golos.

A bênção que vinha da equipa de arbitragem foi bem aproveitada pelo Porcelana. Com isso, a equipa do Cuanza Norte, que acabou por rever a sua forma de jogar, chegou ao empate aos 58´, por Djemba, numa excelente jogada de futebol.

O golo do Porcelana provocou intranquilidade ao 1º de Agosto até ao minuto 80´, altura em que chegou ao tento da vitória com assinatura do nigeriano Ibukun.

ARBITRAGEM
Apito sem qualidade


O árbitro José Maxia, apesar da boa movimentação e colocação em campo, esteve mal na condução do jogo. Sem autoridade e falta de experiência, elevada com a fraca assistência dos seus auxiliares, a actuação confusa do juiz ficou provada no lance que resultaria no primeiro golo do 1º de Agosto, na primeira parte, marcado por Ary Papel, mas anulado por fora-de-jogo que não existiu.  O mesmo cenário aconteceu na segunda parte, com largas culpas para o assistente Diogo João, quando voltou a anular mais um golo ao avançado militar. Ainda assim, conseguiu, na segunda metade, controlar o desafio no aspecto disciplinar. O penálti assinalado contra os cuanza-nortenhos foi justo, pois o defesa desviou a trajectória da bola com a mão dentro da grande área. Mau trabalho.

OPINIÕES
Filipe Nzanza  |(1º de Agosto)
“Ganhámos bem”-
"Sabíamos que o jogo não seria fácil. Jogámos com uma grande equipa, o Porcelana, que está fazer bons resultados em Luanda. Jogou com Interclube, com o Petro e ganhou o Kabuscorp, não foi por acaso.  É uma equipa que joga bem, por isso sabíamos que não  seria fácil, mas ganhámos o jogo e valeu pela vitória sofrida. O mais importante eram os três pontos e ganhámos bem. Esse era o nosso objectivo".

Luís Mariano  |(Porcelana)
“Fomos infelizes” -
"A nossa equipa veio com o jogo bem estudado, porque sabemos que o 1º de Agosto é uma grande equipa, tem grandes jogadores e com uma jogada individual pode definir. Procurámos fechar de todas as maneiras e numa infelicidade, na saída do meio-campo, perdermos e sofremos o primeiro golo. Ainda assim, continuamos a trabalhar e tivemos a felicidades de fazer o nosso golo. Tentámos fechar as linhas e jogar com um homem em frente, mas a qualidades deles (militares) e o bom futebol que têm desenvolvido, fez com que marcassem  mais um golo para nossa infelicidade".

Maestro Ibukun
O médio Ibukun, do 1º de Agosto, mostrou ontem, mais uma vez, que está em boa forma desportiva. Com uma leitura de jogo apurada e bom sentido posicional em campo, o jogador militar foi preponderante no "arrojado" triunfo do líder do Girabola Zap sobre o Porcelana. Bem auxiliado por Jumisse, no meio do meio-campo, a actuação do nigeriano foi coroada com o golo que marcou, aos 80´, e que ditou a  conquista dos três pontos.