Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Militares atrs do prejuzo

Jorge Neto - 26 de Setembro, 2015

Militares enfrentam aviadores

Fotografia: Jornal dos Desportos

O técnico-adjunto do 1º de Agosto, Filipe Nzanza, antevê um desafio difícil hoje, às 15H30, no estádio dos Coqueiros, diante do ASA, mas afirma que o pensamento está virado de forma exclusiva na conquista dos três pontos.

O auxiliar do bósnio Dragan Jovic considera que a equipa atravessa um bom momento, com a vitória sobre os polícias na jornada anterior e a intenção é manter esse ritmo até ao final do campeonato.

"A equipa está bem moralizada, depois da vitória contra o Interclube e pensamos que este jogo também será muito difícil, porque o ASA tem bons miúdos, que correm bem e querem aparecer no Girabola. Além disso, a equipa pretende fugir da classificação que se encontra neste momento, mas vamos fazer tudo, como já dissemos, serão quatro jogos difíceis e queremos ganhar todos os jogos", disse confiante.

As possibilidades dos rubro e negros chegarem ao título dependem apenas de si, pelo que Filipe Nzanza prefere ganhar cada jogo e esperar por um deslize dos líder do campeonato. 

"Acho que nós estamos a fazer o nosso campeonato, já estamos em segundo lugar e vamos fazer tudo para ganhar os quatro jogos que restam e depois vamos fazer a matemática", disse.

"Sabemos que o Libolo está a frente e um deslize dele também vai nos agradar porque é nosso adversário, mas nós temos de fazer primeiro a nossa tarefa, de ganhar jogos após jogos", defendeu o antigo médio militar.

Nas hostes agostinas não se esperam facilidades, pois como disse Filipe Nzanza "é um dérbi e é sempre difícil, nós sabemos que temos de pontuar, estamos a frente do ASA e somos favoritos. Mas é dérbi, são duas equipas de Luanda e cada um vai fazer o possível para ganhar e nós temos o nosso objectivo e vamos entrar neste jogo para somar os três pontos", concluiu.

O defesa central e capitão da equipa, Dani Massunguna falha o dérbi desta tarde, diante dos aviadores, por acumulação de três cartões amarelos, abrindo a possibilidade do regresso à titularidade de Ndieu.

A lista de desfalques continua com as ausências dos médios Jumisse e Ibukun. O moçambicano e o nigeriano recuperam das respectivas lesões e ainda não estão aptos, depois de falhar igualmente o jogo passado.


DÉRBI
ASA augura voo tranquilo

O treinador-adjunto do Atlético Sport Aviação (ASA), António Mateus "Matias", tem em perspectiva um jogo muito renhido esta tarde, no Estádio dos Coqueiros, no qual a sua equipa vai defrontar o arqui-rival 1º de Agosto, naquele que é considerado o mais antigo dérbi luandense no Girabola.

Falando ontem em exclusivo ao Jornal dos Desportos, no final da sessão de treinos que se cingiu mais no capítulo de relaxe, o adjunto do brasileiro Roberto do Carmo "Robertinho" avançou que um dérbi é sempre um dérbi, cujos resultados são sempre imprevisíveis.

"Um dérbi é sempre um dérbi, porque são jogos com resultados imprevisíveis. São jogos que se ganham aos detalhes, onde a equipa mais afoita, que comete menos erros vai ganhar o duelo, e espero que essa equipa seja o ASA", disse o antigo médio trinco dos aviadores.

"O jogo mais emotivo vivido por mim como jogador nesses derbies, o mais difícil foi o da segunda volta do ano passado, em que nós (ASA) estávamos mais ou menos na mesma condição em que nos encontramos hoje, mas que tínhamos que ganhar a todo o custo. Graças a Deus, as coisas correram bem para o nosso lado e acabámos por ganhar", recordou.

Robertinho  confessou que o grupo vive um momento de retracção, porque vai defrontar um adversário que se encontra na condição de sério candidato ao título. "Encaramos esse duelo com certa retracção, na medida em que vamos defrontar um adversário que está bem no campeonato, motivado e almeja chegar ao título. Sabemos que vai ser difícil, temos consciência disso, mas estamos preparados no sentido de enfrentar as dificuldades que teremos pela frente ", afirmou Matias.      
Augusto Panzo