Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Militares caem na táctica dos estudantes

BENIGNO NARCISO, NO LUBANGO - 22 de Março, 2018

Académica assume terceiro lugar

Fotografia: Dombele Bernardo |Edições Novembro

O Desportivo da Huíla desperdiçou a possibilidade de ascender à segunda posição do Girabola Zap 2018, ao perder ontem frente a Académica do Lobito, por 1-0, em casa,  jogo referente à sétima jornada da competição.
A formação afecta à Região Militar Sul, que vinha motivada pela vitória obtida fora de casa (1-0), na jornada anterior sobre o FC Bravos do Maquis, foi incapaz de satisfazer a enorme expectativa criada pelos adeptos, que ávidos em testemunhar o “assalto” da equipa aos lugares do topo da tabela, saíram defraudados do estádio.
O excesso de confiança pode ter estado na base desse desaire. O maior número de ocasiões de golo, o domínio sobre o oponente e maior caudal ofensivo, aliado a solidez defensiva até ao golo dos visitantes, em nada serviram aos intentos dos comandados de Mário Soares.
Os pupilos às ordens de Rui Garcia, que nunca viraram cara à luta, viram compensado todo o esforço empreendido durante os 90´. Diante da passividade e incapacidade de finalização do Desportivo, o adversário, após suportar a carga ofensiva e o domínio contrário, reentrou para o jogo, na segunda parte, bastante transfigurado.
As transições rápidas nas saídas para o ataque e contra-ataques e a rapidez dos médios alas nas investidas ofensivas do Desportivo, despertaram o técnico Rui Garcia que identificou esses pontos como um dos aspectos fortes a superar ao adversário para chegar ao triunfo.
Por isso, a estratégia baseada em contra-ataques rápidos adoptada na primeira parte do jogo foi substituída por ataques continuados apoiados pelos três sectores que se prosseguiam juntas a atacar e a defender.
A estratégia impôs equilíbrio ao jogo e permitiu aos forasteiros chegarem mais vezes próximo da área adversária. Esse ascendente aumentou a confiança dos protagonistas ao mesmo tempo que limitou as acções ofensivas dos caseiros.
Sempre a liderar as estatísticas do desafio, o Desportivo que se revelou incapaz, com um futebol de pouca profundidade e objectividade, pagou caro. Por isso, viu o fracasso cair sobre si, aos 82´,  quando Jiressi, avançado dos estudantes, desfez o nulo no marcador e fixou o resultado final em 1-0 a favor da sua equipa.
O juiz Sabino de Carvalho, da província de Luanda, efectuou um trabalho regular. Não teve influência no resultado. Esteve bem técnica, física e disciplinarmente. Exibiu por quatro ocasiões a cartolina amarela.