Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Militares da Regio Sul atentos aos do Rio Seco

Morais Canmua - 29 de Abril, 2016

Formao huilana com duas baixas para o jogo

Fotografia: Aro Martins

Lutar até às últimas consequências, para no mínimo pontuar, são os objectivos principais do Desportivo da Huíla na partida diante do 1º de Agosto, próximo domingo, a partir das 18 horas, pontuável para a jornada 10 do Girabola Zap.

A equipa, segundo Ivo Traça pretende dar o máximo para lograr somar pontos ainda que o adversário se chame Agosto, por sinal, o “seu irmão mais velho”. A perspectiva, segundo o técnico “é tentar fazer frente ao todo-poderoso 1º de Agosto e remar contra o seu favoritismo”.

Em Luanda há já uma semana, desde a pesada derrota com o Benfica de Luanda (4-0), o Desportivo da Huíla ensaia a estratégia adequada para, na senda dos bons resultados e da classificação que ostenta manter-se na mesma bitola.

“Sabemos bem o quão será difícil o jogo mas, ainda assim, vamos lutar do primeiro ao último minuto para conseguirmos os nossos intentos”, disse.
Ao abordar a estratégia a utilizar para atingir o desiderato, o antigo craque agostino e dos Palancas Negras, não escondeu alegando que, “o mais importante será, na verdade montar bem a nossa estratégia e esperar que os jogadores cumpram integralmente, com particular destaque para as funções tácticas”.

Na mesma perspectiva sublinhou que “vamos procurar fechar bem todos os caminhos que dão para a nossa baliza e marcar em cima as principais peças do adversário que são muito velozes e com grande capacidade técnica”.

Para o técnico dos militares da Região Sul, o desaire sofrido na jornada passada diante dos encarnados de Luanda, “nos serve de lição” para puderem rever as lacunas e não tornar a baquear nos mesmos erros.

“Jogamos mal diante de uma equipa muito bem estruturada. Entramos com confiança excessiva e não cumprimos alguns pressupostos defensivos. Acredito que foi um acidente de percurso pelo dilatado resultado e que com o 1º de Agosto será totalmente diferente, disse confiante Ivo Traça.

O técnico lamenta algumas baixas de vulto no seu plantel mas ainda assim acredita que, aqueles que entrarem “saberão suar a camisola e dar o melhor pela equipa”.O bom momento do adversário, aliado a necessidade de ganhar para manter a vantagem pontual em relação aos concorrentes directos, serve de aviso para o técnico do CDH que sublinha ser este “um bom tónico” que irá galvanizar a sua rapaziada, ávida de se redimir da má exibição da jornada passada.


PLANTEL
Huilanos enfrentam várias baixas


Para o jogo diante do 1º de Agosto, o Desportivo da Huíla não contará com  o concurso de alguns titulares influentes na manobra da equipa. São os casos do defesa central e capitão de equipa Chiwe, do médio ala Nadinho, dos defesas laterais Severino e Elísio e do atacante Kembwa.

 As causas da ausência dos mesmos se devem à lesões e doenças, com particular destaque para o lateral direito Elísio, há muito acometido com uma crise palúdica. Em relação à Chiwe, o esteio da defensiva do CDH, durante a semana ressentiu-se de dores no joelho da perna direita e no tornozelo da perna esquerda.

Do mesmo modo, Severino e Nandinho queixaram-se de dores no joelho da perna direita e tornozelo da perna direita respectivamente, enquanto o atacante Kembwa contraiu uma lesão no tendão de aquilles da perna direita, o que o impede de defrontar a equipa de Jovic Dragan.Para colmatar essas baixas de vulto, Ivo Traça deverá apostar em jovens que se têm manifestado irreverentes e que, na visão do técnico, “podem dar conta do recado”.

Para o lugar de Chiwe podem entrar Bonifácio ou Elías. Na lateral direita, Jojó pode ser o substituto de Severino, enquanto Mendes e Bebucho podem assumir a linha de frente do ataque.


IVO TRAÇA
“Se nos deixarem vamos longe”


Em relação a campanha da sua no presente Girabola, Ivo Traça referiu que a mesma não tem nada de extraordinário. Para ele,  “tem a ver apenas com o trabalho humilde e abnegado que vimos desenvolvendo”. Destacou neste particular a entrega dos jogadores e os esforços que a direcção do clube faz para manter os níveis motivacionais.

Por outro lado, reconheceu que o Desportivo da Huíla iniciou da melhor forma a prova e, ao somar os primeiros pontos “a equipa galvanizou-se, ganhou confiança e embalou”. Ivo Traça revelou que “o lema na nossa equipa tem sido, ganhar os jogos em casa e procurar pontuar fora”.Nesta perspectiva, acrescenta que os preciosos pontos que o grémio tem vindo a somar na prova “servirão para nos dar sustentabilidade na fase crucial da mesma, nomeadamente na segunda volta”.  Deste modo aludiu que, “se nos deixarem, iremos longe”

O Clube Desportivo da Huíla ocupa a 4º posição com 17 pontos, fruto de 5 vitórias,  2 derrotas e 2 empates. Marcou 10 golos e sofreu 9.                 MC