Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Militares da regio Sul superam confrades

Benigno Narciso, no Lubango - 26 de Fevereiro, 2018

Formao do Lubango entrou confiante e acreditou sempre na vitria

Fotografia: Arimatia Baptista

O Desportivo da Huíla superiorizou-se ao Cuando Cubango FC, vencendo por 3-1, num jogo em que teve quase sempre o controlo. Foram mais atrevidos e arriscaram mais em busca do objectivo supremo, vencer. Os atletas jogam com alegria e confiança, pois, têm um treinador que os motiva e acredita nas capacidade de cada um.
Os militares da Região Sul  controlaram as operações, ainda que na primeira parte tenha faltado alguma clarividência no último terço, dada a ansiedade de conquistarem a primeira vitória.
O triunfo sobre o primo divisionário do Cuando Cubango pôs fim à sequência de dois empates registados nas duas primeiras jornadas da prova e o cumprimento da promessa feita pelo técnico Mário Soares, que na antevisão ao desafio definiu a conquista dos três como único objectivo.
Contudo, a concretização do desejo dos adeptos ávidos de testemunharem o “divórcio” com os resultados dos jogos anteriores, não foi tarefa fácil a julgar pelo a forma como a equipa afecta à Região Militar Sul conseguiu lograr o feito.
Com algum excesso de confiança e “desprezo” ao adversário, o Desportivo ansioso em resolver o jogo o mais cedo possível, teve imensas dificuldades para lograr os seus intentos.
A falta de discernimento e frieza para chegar ao golo foi quebrada graças “ajuda” da mão do defesa Lito, que em plena pequena área, na tentativa de travar uma acção ofensiva contrária cometeu grande penalidade, assinalada pelo árbitro Yuri de Melo.
Bruno com frieza e destreza atirou a marcar aos 14´. O golo, nem por isso, espevitou os donos da casa. A equipa continuava apática, como que a dormir à sombra da vantagem mínima. A falta de ambição de querer ampliar o resultado foi evidente ao ponto de permitirem o empate.
Os comandados de Abel da Conceição, que nunca baixaram os braços, viram o esforço compensado com golo de Paulucho aos 26´. O médio ofensivo e pensador da equipa visitante com mestria bateu o guarda-redes camaronês, Kingsley Kiss, incapaz de travar o remate colocado do meio do meio campo.
O golo da igualdade despertou os atletas do Desportivo. A equipa revigorou a disposição e o foco para o jogo, com domínio sobre o adversário. Foi fruto dessa atitude que aos 30´ Elias desfez a igualdade, ampliando para 2-1.
Na etapa complementar, os dois técnicos efectuarem às alterações que se impunham nas respectivas equipas. Aos poucos o conjunto das terras altas da Chela impôs a sua supremacia. “Rendidos” ao poderio do adversário o FC Cuando Cubango passou mais tempo a defender, encurralado no seu sector defensivo.
Diante deste cenário, a formação huilana foi apossada pela ansiedade e falta de frieza que motivou um festival de falhanços. Embaralhados e sem capacidade de fazer circular a bola, para com naturalidade e finalizarem as inúmeras ocasiões de golo, os pupilos de Mário Soares falhavam o alvo no último remate.
Quando todos esperavam pelo apito final do árbitro Yuri de Melo, com  uma actuação bastante criticado pelo técnico Abel da Conceição, o médio criativo Malamba,  após uma jogada envolvente e com boa combinação, finalizou para 3-1, aos 87\'.