Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Militares esto ansiosos em regressar s vitrias

Betumeleano Ferro - 22 de Julho, 2009

O 1º de Agosto está há três jogos consecutivos sem vencer no Girabola. Esta seca de triunfos tem preocupado os militares, admitiu, ontem, Jorge Chaves, técnico-adjunto dos rubro-negros. Ele garantiu que os insucessos das últimas jornadas no campeonato estão a provocar ansiedade nos jogadores.

Devido ao seu historial, o 1º de Agosto é forçado a obter bons resultados, reconhece Jorge Chaves, mas os desaires da segunda volta têm colocado em xeque o real valor competitivo dos militares, que, num ápice, desceram dois degraus na classificação, estando agora em quarto.

“Nós temos de estar preocupados com isso, temos sempre o objectivo de vencer, mas já estamos a vários jogos sem ganhar”, referiu Jorge Chaves.

As sucessivas escorregadelas têm sido bem aproveitadas pelo Recreativo do Libolo e pelo Benfica de Luanda, que ultrapassaram o 1º de Agosto.

“Estamos conscientes de que chegou o nosso momento de lutar também pela vitória, já a partir deste jogo com o Kabuscorp”, promete o técnico-adjunto do 1º de Agosto.

Os palanquinos têm impressionado mais pela moldura humana que arrastam aos campos, mas sua equipa também tem sabido dar alegrias aos adeptos. Os favoritos Petro de Luanda e Interclube já amargaram esta época por causa do Kabuscorp. Esse facto coloca os militares em estado de alerta, como reafirma Jorge Chaves: “Nós conhecemos o Kabuscorp, é um adversário muito difícil, mas estamos preparados para entrar em campo e conquistar os três pontos”.

CORRECÇÃO

Com base nas informações recolhidas sobre o adversário, o técnico Viktor Bondarenko reservou uma parte do treino de ontem para corrigir o posicionamento da defesa nos lances de bola parada, pois, o médio Byavanga já se revelou, em várias ocasiões, mortífero em lances do género.

“Acabamos agora (ontem de manhã) de fazer o nosso trabalho de casa. Só nos resta esperar pela hora do jogo”, tranquilizou Jorge Chaves.
Os adeptos do 1º de Agosto estão separados da equipa por causa da constante oscilação de resultados, por conseguinte, os jogadores querem compensá-los, esta tarde, com uma boa exibição e um bom resultado, afirmou Jorge Chaves, que apelou a uma ida em massa aos Coqueiros.

“Queremos que os nossos adeptos continuem a acreditar em nós, que puxem pela nossa equipa do princípio ao fim, porque tudo faremos para vencer esta tarde”, finalizou o técnico-adjunto do 1º de Agosto.

Técnico do Kabuscorp almeja os três pontos

O técnico principal Kabuscorp do Palanca, Drasko Stoijlkovic, espera por muitas dificuldades no desafio desta tarde, no estádio dos Coqueiros, diante do 1º de Agosto, na conclusão da 18ª jornada do Girabola. Apesar disso, o treinador sérvio almeja conquistar os três pontos em disputa.

Drasko Stoijlkovic considerou positivos os dias de preparação que antecederam o jogo desta tarde e está confiante que os seus jogadores consigam levar para o bairro do Palanca mais uma vitória.

“O 1º de Agosto é uma grande equipa que não está muito bem no campeonato, mas isso não significa dizer que a nossa tarefa será fácil. Vamos trabalhar muito para conquistar os três pontos, de que muito precisamos”, disse.

O empate conquistado com bastante determinação na última jornada (2-2), diante da Académica do Lobito, em Benguela, quando perdia por duas bolas sem resposta, é moralizante para a equipa. Por isso, segundo o técnico sérvio, os jogadores estão decididos a realizar uma boa partida, hoje, ante o candidato 1º de Agosto.

Drasko Stoijlkovic espera que os adeptos, à semelhança de outras ocasiões, encham o estádio dos Coqueiros e puxem pela equipa, para que possam fazer uma grande festa no fim do desafio.

D’Agosto volta a jogar com  ataque de recurso

As lesões dos atacantes Love, Bena e Tuabi continuam a dificultar as opções da equipa técnica do 1º de Agosto. Pela segunda vez consecutiva, os militares vão ser forçados a actuar com um ataque de recurso, que em princípio voltará a ser liderado pelo jovem Piló. Esta adversidade não deverá abafar o famoso refrão “atacar, atacar, atacar”, disse Jorge Chaves.

“Os nossos principais atacantes não vão poder dar o seu contributo, mas temos confiança nos que estão disponíveis, é com eles que contamos e temos total confiança que farão um bom jogo”, disse o técnico.

Os ausentes Love e Bena têm sido os principais marcadores dos rubro-negros na presente época, mas como em futebol também não há regra sem excepção, Jorge Chaves tem fé de que, esta tarde, a equipa consiga marcar golos suficientes para derrotar o Kabuscorp.

“Nós temos os nossos jogadores preparados, qualquer um deles está à altura para quando for chamado dar o seu melhor, temos consciência de que os nossos profissionais darão o seu melhor”, afirmou o técnico-adjunto do 1º de Agosto.

As dimensões reduzidas do estádio dos Coqueiros também podem atrapalhar a intenção do 1º de Agosto de espalhar à vontade o seu futebol no rectângulo. A extensão dos Coqueiros beneficia quem defende, pelo que os militares vão ser obrigados a procurar alternativas, caso o adversário se encolha durante a partida, reconhece o nosso interlocutor.

“A situação será esta, por isso, preparamos bem os nossos atletas e acredito que, com humildade e determinação, conseguiremos obter os três pontos”, garantiu Jorge Chaves.

À semelhança do jogo com o Stade Malien, a contar para a Taça da Confederação, o técnico Viktor Bondarenko vai escalar um onze alternativo, que em princípio deverá incluir apenas um atacante, em vez de dois, como tem sido norma. Mas esta ligeira alteração em nada vai diminuir as chances de vitória do 1º de Agosto: “Temos as nossas rotinas trabalhadas”, realçou Jorge Chaves.