Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Militares fracassam nas Afrotaas

JORGE NETO - 03 de Fevereiro, 2020

Campeo nacional falhou quartos-de-final da Liga dos Compes Africanos

Fotografia: Vigas da Purificao | EDIES NOVEMBRO

O empate nulo da equipa do 1º de Agosto na recepção ao Zamalek do Egipto, sábado último, confirmou a participação negativa dos militares na 24ª edição da Liga dos Campeões Africanos de futebol, terminando na terceira e penúltima posição do Grupo A da maior competição continental de clubes.
O tetra-campeão nacional não foi capaz de traduzir em golos às poucas oportunidades que tiveram durante os 90 minutos, permitindo com que o adversário saísse de Luanda, com um ponto na bagagem.
Com isso, o conjunto rubro-negro despediu-se da Champions sem provar o doce sabor da vitória, nos seis desafios disputados, pois somou quatro empates e duas derrotas, tendo perdido apenas nas deslocações com as duas equipas mais fortes do grupo, o TP Mazembe do Congo Democrático (2-1) e o Zamalek do Egipto (2-0).
O 1º de Agosto somou quatro pontos na terceira posição, deixando o Zesco United da Zâmbia, no quarto lugar com três, ao passo que os qualificados à fase seguinte foram o  TP Mazembe com 14 pontos e o Zamalek do Egipto com nove. 
A direcção do clube liderada por Carlos Hendrick havia traçado, no início da época, como objectivo principal chegar o mais longe possível nesta competição, sendo que qualificar-se para os quartos-de-final seria o alvo primário. A ambição dos militares justificava-se pelo facto de terem conseguido o brilharete na edição de 2018, onde atingiram às meias-finais e eliminados de forma polémica pela formação do Esperance de Tunis.
O ataque agostino mostrou-se bastante perdulário na prova, marcou quatro golos e sofreu sete, saldo de menos três, sendo incapaz de vencer qualquer jogo em casa, três empates (1-1; 1-1; 0-0) factores que começaram a desenhar a eliminação prematura da equipa capitaneada pelo defesa-central Dany Massunguna.
Se quiser regressar a esta competição na próxima edição, o 1º de Agosto terá de conquistar o Girabola Zap ou ser vice-campeão, para melhorar a participação encerrada no último sábado no estádio 11 de Novembro.
Com isso, o técnico bósnio Dragan Jovic não conseguiu qualquer vitória na fase de grupos da Liga dos Clubes Campeões Africanos, na quarta época que orienta o conjunto militar.

Mabululu
e Ary Papel
deixam marca
na prova

Os avançados Mabululu e Ary Papel, ambos do 1º de Agosto, foram os únicos marcadores da equipa na fase de grupos da 24ª edição da Liga dos Clubes Campeões Africanos, com três e um golo, respectivamente.
Mabululu finalizou uma vez diante do Zesco United da Zâmbia (1ª jornada), no empate a um golo, no estádio 11 de Novembro, e deixou às impressões digitais em duas ocasiões frente ao TP Mazembe, do Congo Democrático (3ª e 4ª jornadas), no empate a um golo e na derrota na deslocação à Lubumbashi, por 2-1, respectivamente. 
Já Ary Papel não deixou os seus créditos em mãos alheios e marcou na deslocação a Ndola, diante do Zesco United da Zâmbia, formando a dupla restrita de goleadores dos rubro-negro nesta fase da maior competição africana  de clubes. 
Todavia, a lista dos marcadores da equipa campeã nacional aumenta em relação às eliminatórias de acesso à fase de grupos, onde surgem além de Mabululu e Ary Papel, os nomes de Lionel e Kila, sendo que o camisola 26 agostino (Mabululu) apontou três golos e os restantes, cada um tento.