Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Militares huilanos falham obrigao caseira

Benigno Narciso, no Lubango - 09 de Dezembro, 2019

Conjunto de Menongue foi Hula arrancar um precioso ponto

Fotografia: EDIES NOVEMBRO

O Desportivo da Huíla foi incapaz de cumprir a obrigação que decretou há dias, vencer o Cuando Cubango FC, no Lubango. Os militares da Região Sul, acabaram por empatar, ontem, a uma bola, no estádio do Ferroviário da Huíla, em desafio válido para a 14ª jornada do Girabola Zap 2019/2020. Longe da postura e atitude anunciada por um dos seus técnicos, na véspera do jogo para o qual decretou a imperatividade de triunfar, a equipa de Mário Soares esteve distante de assumir o domínio do jogo e impor a força do seu futebol para submeter o adversário e vencer a qualquer custo, como pretendido. Ao invés disso, o jogo foi disputado sob o signo do equilíbrio, porém, assistiu-se a um espectáculo pobre, consequência da falta de criatividade e soluções ofensivas para driblar e superar a luta, o futebol amarrado e musculado que ambos os contendores insistiram em produzir no meio campo do relvado. Diante deste cenário em que decorria a partida, poucas ou quase nenhuma situação clara de golo registou-se durante a primeira parte, pobreza ofensiva que castigou o labor e a falta de soluções das equipas em campo. Isso defraudou a expectativa dos adeptos, forçados a testemunhar uma partida sem muita qualidade. Foi com essa toada de jogo que Desportivo da Huíla e o Cuando Cubango FC atenderam ao apito do árbitro e foram para os balneários em repouso. No reatamento, Mário Soares e Albano César, insatisfeitos com o desempenho das suas equipas, efectuaram mexidas nos respectivos conjuntos com a convicção de inverterem o rumo dos acontecimentos e puxar para si o melhor. Nem por isso. No relvado prevaleceu o futebol preso ao meio campo, numa cópia às ocorrências da etapa inicial. Sem tendência aparente para o surgimento do golo, foi numa jogada aparentemente inofensiva que o avançado Nelito, socorreu-se da arte de bem cabecear para converter em golo um cruzamento e colocar a equipa do Cuando Cubango em vantagem no jogo aos 68´. O Desportivo reagiu. Pressionada, a formação afecta à Região Militar Sul despertou e fez subir as suas linhas, em ataques continuados em bloco. O adversário que se via pressionado e remetido ao seu último reduto, claudicou quando, aos 80´, ofereceu o golo da igualdade aos huilanos, ou seja, um auto-golo do central e capitão da equipa Lito. O árbitro José Maxia teve uma actuação aceitável. Com um ou outro erro não teve interferência directa no resultado final do encontro.