Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Militares miram vitria na Cala

Betumeleano Ferro - 22 de Fevereiro, 2020

O estádio da Caála é agridoce para o 1º de Agosto, os militares têm todas as razões para estar com motivos de queixa do relvado, mas mesmo assim, vão tentar voltar a sorrir amanhã a partir das 15h00, para tentar recuperar o que é seu, incluindo a liderança, em caso de vitória do Petro. O Recreativo da Caála costuma causar imensas dificuldades caseiras ao campeão, mas vai ter de aumentar o labor para conseguir prevalecer sobre o 1º de Agosto.
Os militares sabem que não podem voltar a facilitar, o passo em falso da jornada passada causou um amargo de boca, que agora elevou a fasquia ante os caalenses. A resposta dos militares pode ser contundente demais para definir um placar vitorioso no final, não importa quanta determinação os caalenses vão apresentar para fazer com que o 1º de Agosto volte a tropeçar no campeonato.
A precisa de lamber as feridas da taça, o Desportivo da Huíla volta ao Ferrovia, 15h00,  para compensar os adeptos no campeonato com os 3 pontos ante o Sporting de Cabinda. Os militares da Região Sul estão ansiosos para recuperar a fórmula do sucesso caseiro, se normal acontecer vão ser mais 3 pontos, mas é preciso olhar também para os leões, pois podem pontuar extramuros.
A cada jornada o FC Bravos do Maquis prova que está formatado para o terceiro lugar, é por isso que os maquisardes vão aos Eucaliptos, início às 15h00, para tentar somar e seguir contra o Cuando Cubango FC. Os maquisardes estão com a faca e o queijo nas mãos, mas têm de se acautelar para evitar adoptar uma atitude sobranceira, que só vai dar frutos positivos para o Cuando Cubango.
O Progresso Sambizanga bem que gostaria de estar no lugar do Wiliete de Benguela, os sambilas estão a fazer pela vida para permanecer no campeonato, já o primodivisionário faz outro tipo de contas, porque está bem seguro no campeonato.
O desafio Progresso - Wiliete começa às 16h00, nos Coqueiros. Os sambilas, sem margens de erro, têm de somar 3 pontos contra o tranquilo Wiliete, que se recomenda.