Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Militares perdem a inviolabilidade

Jorge Neto - 03 de Março, 2017

À entrada do terceiro jogo o conjunto agostino dividia o estatuto de baliza imbatível com o Sagrada Esperança da Lunda Norte

Fotografia: José Cola

Ao consentir o primeiro golo no terceiro jogo que disputou na presente edição do Girabola Zap, a baliza da equipa do 1º de Agosto perdeu a inviolabilidade, no empate a um tento, diante do Recreativo da Caála, mais cedo em relação a época passada, onde consentiu apenas na quarta jornada.

O desafio disputado entre caalenses em militares na última quarta-feira, na Vila da Caála, foi o terceiro desafio de ambos conjuntos na competição, e serviu de acerto para a segunda ronda do Campeonato da Primeira Divisão.

À entrada do terceiro jogo o conjunto agostino dividia o estatuto da baliza imbatível com o Sagrada Esperança da Lunda Norte que, deste modo, conserva a sua inviolabilidade, sendo, por isso, os únicos que ainda não sofreram qualquer golo nesta prova.

Na época passada os campeões nacionais consentiram o primeiro golo na vitória sobre a formação da Académica do Lobito por 3-1, no Estádio do Buraco, desafio referente à quarta jornada, após ter saído intocável nos triunfos sobre o Benfica de Luanda (0-2), Progresso do Sambizanga (3-0) e 4 de Abril (2-0).

A defesa rubro-negra apresenta três caras novas em relação a 2016, onde se regista as entras do guarda-redes Tony Cabaça, em substituição do lesionado Antoine Dominique, do central Bobó, contratado ao Kabuscorp do Palanca, e do lateral esquerdo Natael, contratado ao Recreativo do Libolo).

As alterações feitas neste sector mantêm a consistência defensiva que o conjunto \"rubro-negro\", evidenciou nas primeiras jornadas da época passada, os reforços estão a passar por um período de adaptação, que a equipa técnica avalia como positivo.

No ano passado, alinharam neste sector o guarda-redes Antoine Dominique, Isaac, lateral direito, Dany Massunguna e Sargento como centrais, e Paizo na lateral esquerda. O técnico bósnio Dragan Jovic conservou apenas em 2017, Dany Massunguna e Isaac.

Em função de Antoine Dominique, habitual titular na baliza militar, estar a recuperar de uma lesão na Suíça, Tony Cabaça assumiu esta responsabilidade e tem exercido as funções com muita confiança. O jogador tem usado toda a experiência acumulada, pelo menos, nos últimos dez anos, para assegurar as suas redes.

A segurança que transmite aos seus colegas quando está entre os postes tem muito haver com os longos anos de casa, ou seja, é o atleta mais antigo na equipa, ostenta o estatuto de único bi-campeão no actual plantel agostino. Conquistou o primeiro título em 2006, com o técnico holandês, Jan Brouwer e bisou em 2016, com o técnico bósnio Dragan Jovic.


TREINOS
Campeão retoma preparação para Académica


A equipa do 1º de Agosto regressa hoje às 8h30, ao campo do ex-RI20 para realizar a sua primeira sessão de treinos, depois da folga registada ontem, na preparação tendo em vista a recepção a formação da Académica do Lobito, em desafio referente a 4ª jornada do Girabola Zap.

Este será o primeiro treino dos campeões nacionais, depois do empate a um golo diante do Recreativo da Caála, na última quarta-feira. A equipa regressou a capital do país logo após o final do jogo na província do Huambo.

O técnico Dragan Jovic vai optar por uma sessão técnico e táctica, onde após habitual conversa e exercícios de aquecimento darão início a preparação de campo. A correcção dos erros cometidos no empate a um golo diante do Recreativo da Caála e a projecção da táctica a utilizar frente a Académica do Lobito vão dominar o dia de trabalho.

Os estudantes vêm de uma vitória por 2-1 sobre o Recreativo da Caála, no sábado passado, em partida pontuável a terceira jornada, pelo que, curiosamente o adversário que travou os rubro-negros, daí a atenção redobrada do conjunto do rio seco.

Regressar às vitórias é o grande objectivo dos campeões nacionais, actuais segundo classificados, que podem voltar a alterar a equipa titular, no âmbito da gestão do plantel que o técnico bósnio e os seus adjuntos têm feito nesta época.

Após o final do treino matinal o técnico-adjunto, Ivo Traça e mais um jogador, antevêem em conferência de imprensa, a recepção aos estudantes do Lobito.


Artilharia é "partilhada"
com Kabuscorp do Palanca  
  

O ataque do campeão nacional, 1º de Agosto, com seis golos, partilha a artilharia do Girabola Zap, com a formação do Kabuscorp do Palanca, actual líder isolado da competição, após três jornadas disputadas, sem no entanto, nenhum jogador assumir a liderança na lista dos marcadores da equipa. 

Aos poucos a incerteza que existia, pois a equipa técnica sentia a necessidade de um "homem-golo", começa a afastar-se, em função dos golos surgirem de forma natural.

Se no ano passado à saída da terceira jornada Gelson já se destacava com três finalizações e Geraldo com duas, esta época os seis golos estão distribuídos por cinco jogadores, sendo um por auto-golo, de Piqué, defesa do central da formação do JGM do Huambo.

Este ano estão na lista dos marcadores Meda, Vado, Mingo Bile, Diogo Rosado e Geraldo, um prenuncio de que os golos poderão ser distribuídos por mais jogadores, em relação a 2016, onde marcaram dez atletas, nomeadamente Gelson (23), Ary Papel (12), Geraldo (7), Ibukun (3), Isaac (3), Gogoró (3), Buá (2), Dany Massunguna (3), Patrick (2) e Jumisse (2).

Um dado curioso é que na presente época os dois primeiros golos dos campeões nacionais, que ocupam a segunda posição na tabela de classificação, foram rubricados na primeira parte, antes dos quinze minutos. Meda marcou aos nove, diante do JGM e Vado fê-lo aos catorze minutos frente ao 1º de Maio de Benguela.