Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Militares pretendem limpar a m imagem

Jorge Neto - 08 de Abril, 2016

Plantel rubro e negro prepara com bastante cautelas a recepo aos campees nacionais

Fotografia: Jornal dos Desportos

Depois do desaire na jornada anterior, a equipa do 1º de Agosto está apostada em provar, domingo, às 18h00, no estádio 11 de Novembro, quando receber o Recreativo do Libolo, que a derrota no Huambo não deveu-se a pausa registada no Girabola Zap, em virtude dos compromissos do Palancas Negras, mas sim mérito do adversário que soube aproveitar as oportunidades criadas.

Assumindo o comando e a responsabilidade do primeiro desaire, a equipa técnica dos militares mantém a sua posição e afastam qualquer argumento ou justificação pelo sucedido frente ao CR Caála, contrariando assim o pensamento mais generalizado entre os adeptos agostinos.

Digerida a primeira derrota, o plantel militar retomou a preparação, ontem de manhã, no ex-RI20, após a folga de quarta-feira, concedida para retirar alguma pressão aos jogadores e ao mesmo tempo dar-lhes maior serenidade para o duelo frente ao campeão nacional.

Os rubro e negros vêem de uma derrota, mas descartam a hipótese de repetirem o feito, o que seria um saldo bastante negativo e de certa forma mancharia a boa campanha inicial nas primeiras cinco jornadas, com um registo de igual número de vitórias.

A liderar o campeonato, os agostinos tencionam aproveitar o factor casa para regressar aos triunfos diante de um concorrente directo, pois, sabem que estes jogos são decisivos nas contas finais, como de resto aconteceu na época passada, quando as duas equipas terminaram com o mesmo número de pontos, ou seja, 60.

O ambiente no seio do plantel agostino é de total motivação, a julgar pelo grande interesse que o desafio desperta nos jogadores. Este é daqueles jogos que todos os atletas querem fazer parte, daí ser uma semana muito concorrida na luta pela titularidade.

O técnico Dragan Jovic estuda algumas mexidas na equipa, em função do primeiro desaire no campeonato, em que o conjunto esteve muito apático, previsível, criando poucas ocasiões de golos.

A formação rubro e negra pretende apresentar uma atitude diferente, jogar o seu futebol, para naturalmente, no final dos noventa minutos somar os três pontos em disputa e fugir a pressão dos concorrentes no despique a conquista do Girabola Zap 2016.


CLÁSSICO
Militares e libolenses confiantes


Quando faltam quarenta e oito horas para o jogo de maior de cartaz da ronda 7, cresce a expectativa em torno do clássico 1º de Agosto e o Libolo, por coincidência o vice e o campeão da época passada. Os adeptos dos dois conjuntos nas conversas de bastidores, mantém a crença no sucesso das suas equipas coração rumo ao objectivo traçado pelas respectivas direcções.

Com sortes distintas na ronda passada, a massa associativa dos militares querem regressar aos triunfos, enquanto aos libolenses encaram este duelo como mais um para somarem os três pontos.

Não obstante a euforia e a vontade de verem  os seus emblemas a brilharem, são unânimes em reconhecerem o potencial do adversário e assumem o grau de dificuldade para alcançarem o objectivo que perseguem, o que aumenta o grau de dificuldade para os dois lados.

O clima é de confiança no seio da massa associativa rubro e negra e assumem mesmo que o desaire foi obra do acaso, sem no entanto, tirar mérito a boa exibição do Recreativo da Caála.

Uns defendem que "Um bom militar não se deixa abater logo na primeira esquina", enquanto outros vão mais longe e revelam que "perderam apenas uma batalha e não a guerra".

Nas bandas de Calulo, o Jornal dos Desportos sabe que os adeptos afectos ao campeão nacional encaram com muitas cautelas a deslocação a Luanda, ainda assim recorrem às estadísticas para manterem o grau de confiança.