Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Militares querem reforar liderana

Jorge Neto - 15 de Julho, 2017

De acordo com o camisola 9 dos rubro-negro, os jogos tornam-se mais difceis quando as bolas no entram de incio e os adversrios que normalmente tm objectivos mais modestos

Fotografia: Santos Pedro / Edices Novembro

O médio central do 1º de Agosto, Buá, considerou que a equipa pecou muito na finalização nos últimos três jogos, mas ambicionam reverter esta situação diante do Desportivo da Huíla, no desafio de amanhã às 17h00, no Estádio 11 de Novembro, onde esperam marcar o mais cedo possível para somar a vitória.

O jogador reconheceu, ontem de manhã, à imprensa, no campo do ex-RI20,  que caso marquem cedo o grupo pode aumentar a motivação e criar mais oportunidades de golos durante o jogo. \"Trabalhamos durante a semana para ver se conseguimos ganhar o jogo. Estamos a pecar muito na finalização, no jogo passado conseguimos marcar um golo no final do desafio e esperamos que diante do Desportivo as coisas sejam diferentes.

É importante fazermos mais golos e se marcarmos mais cedo, será melhor para nós, já que, permiti ficarmos mais moralizados e criamos mais oportunidades para marcar\", defendeu. De acordo com o camisola 9 dos rubro-negro, os jogos tornam-se mais difíceis quando as bolas não entram de início e os adversários que normalmente têm objectivos mais modestos no campeonato animam-se e complicam as coisas.

\"No Girabola não tem equipas fáceis e quando jogamos com as ditas equipas que não são do nosso campeonato, as coisas ficam um pouco mais difíceis para nós. Quando não marcarmos no primeiro tempo, a equipa adversária agiganta-se, acredita e fica muito difícil\", admitiu.Por este motivo, Buá é de opinião que diante dos huilanos a situação não será muito diferente, por isso, terão de dar o máximo de si para chegar ao triunfo e manter no comando do campeonato nacional.

\"Acredito que este jogo com o Desportivo da Huíla não vai fugir à regra, porque é uma equipa irrequieta, corre muito, mas temos de impor o nosso nome, apesar de que (os nomes) não jogam, mas temos de fazer a nossa parte dentro do campo para conseguirmos fazer golos e conquistar os três pontos\", analisou.

O influente jogador dos líderes do Girabola Zap traçou ainda o seu actual estado para este jogo dizendo que \"psicologicamente estou bem, fisicamente estou com uma ligeira dor no tornozelo, que já venho a carregar desde o jogo contra o Recreativo da Caála, mas isso não vai impedir com que eu possa fazer um bom jogo diante do Desportivo da Huíla\", concluiu optimista num bom desempenho da sua parte.
JN