Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Militares reforçam comando

Jorge Neto - 15 de Março, 2017

Rubro-negro demonstram que estão com um eficiente fio de jogo demolidor para todo o campeonato nacional

Fotografia: Vigas da Purificação

Com um futebol alegre e virado para o ataque o 1º de Agosto venceu ontem o FC Bravos do Maquis, por 2-0, Nelson e Isaac, cimentando a sua posição na liderança do Girabola Zap, confirmando todo o favoritismo que recaía para si antes do desafio, que abriu a sexta jornada do campeonato nacional.

Os militares entraram a jogar ao ataque, tentando chegar ao golo o mais cedo possível, dominaram o adversário, fustigaram o seu último reduto, mas encontraram uma boa resistência.

Os pupilos de João Pintar complicavam as investidas dos donos da casa, fechavam bem os caminhos para a sua baliza e saiam rápido ao ataque, tal como havia previsto na antevisão do jogo o técnico-adjunto, Ivo Traça.

Nesta etapa, do lado do 1º de Agosto o jogador mais inconformado, e depois de avisar o guarda-redes contrário, num remate do "meio da rua", que mereceu uma grande defesa para pontapé de canto, chegou mesmo a marcar de cabeça aos 33´.

A vantagem deu mais autoridade aos "agostinos" de subir no terreno e ir a busca do golo da tranquilidade, com jogadas rápidas pelas alas, onde Nelson aparecia sempre em destaque, mas pecavam no último toque. O remate de Buá, dentro da grande área, depois de tirar da frente um adversário foi prova disso.

O jogo decorria a bom ritmo com as duas formações sem receio de atacar, embora a zona intermédio militar composta por Meda, Buá, Schow e Nelson levavam vantagem nos duelos. Apesar disso, o conjunto maquisarde nunca perdeu a atitude e tentou contrariar o maior volume ofensivo do adversário.

Os campeões nacionais defrontaram dois jogadores que já alinharam pelo seu emblema, os defesas Vado e Pataca, que reencontraram a antiga equipa, numa partida em que tiveram de puxar pelos galões para defender os seus ex-colegas.

No reatamento, o primeiro sinal de perigo pertenceu ao 1º de Agosto, Diogo Rosado viu o poste a negar-lhe o golo, quando o avançado e os adeptos "agostinos" nas bancadas já se prepararam para voltar a festejar.

O avançado militar voltou a falhar, aos 57´ sem o guarda-redes Dadão na baliza, tirou mal as medidas no chute fora da grande área.Porém, era apenas uma questão de tempo, aos 57´, Isaac apareceu na zona de ponta de lança e desvio a bola para as redes adversárias, a finalizar um cruzamento de Nelson. Estava feito o segundo golo militar.

Mas isso não foi motivo para os visitantes baixarem os braços, pelo contrário, aos 73´, Vado I obrigou Tony Cabaça a fazer a defesa da tarde. Na medida que o tempo foi passando o jogo continuou aberto, com os maquisardes em busca do golo de honra, mas sem a permissão dos militares, até ao final do desafio. O árbitro Miguel Mateus não teve nenhum influência no resultado, esteve bem na sanção dos aspectos técnicos e disciplinares.

DECLARAÇÕES
“Cumprimos o nosso objectivo”


Ivo Traça 1º de Agosto-"Primeiro gostaria de dar os meus parabéns aos meus jogadores, cumprimos o nosso objectivo. Em segundo lugar felicito os jogadores do Bravos do Maquis pela entrega e a dificuldade que nos criaram. Penso que foi aquilo que nós já estávamos à espera, felizmente os nossos jogadores cumpriram com o objectivo.  Foi um jogo bem conseguido, no primeiro tempo marcamos um golo e no segundo entramos para decidir o resultado, conseguimos e depois foi só gerir até ao final".


“O 1º de Agosto foi mais forte”-

João Pintar FC Bravos do Maquis"Perdemos o jogo com o 1º de Agosto que foi mais forte do que nós, em alguns momentos do desafio, eles têm um potencial muito forte, mas disputamos sempre o jogo. Naturalmente sabíamos que seria um jogo muito difícil para nós, tentamos criar oportunidades para marcar, infelizmente não conseguimos. Vamos continuar a trabalhar, acreditamos que na próxima semana o resultado será melhor".