Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Militares superam confrades da Hula

Jorge Neto - 26 de Abril, 2018

Os agostinos entraram muito perdulrios e tiveram inicialmente falhas at inaugurar o marcador

Fotografia: Santos Pedro| Edies Novembro

O golo de Mongo, saído do banco no segundo tempo, bastou para o 1º de Agosto amealhar os três pontos ontem na recepção ao Desportivo da Huíla, e. assim, cumprir com a missão diante do \"irmão mais novo\", subindo mais alguns degraus na classificação geral.

 Os agostinos entraram muito perdulários e, num ápice, criaram e falharam várias oportunidades, com Jacques em \"destaque\", pela negativa. Caso o avançado congolês acertasse o alvo a sua equipa já teria uma vantagem tranquila antes dos vinte minutos. Os visitantes não cruzaram os braços, pareciam que vieram com a lição bem estudada e chegaram a levar o perigo à baliza de Neblú, que esteve bastante atento para evitar os festejos dos huilanos.

O técnico Mário Soares contava no seu conjunto com jogadores que já vestiram a camisola do 1º de Agosto e alguns que jogam na condição de empréstimo, daí a grande motivação que encararam o desafio diante dos actuais bi-campeões nacionais.

Quanto aos pupilos de Zoran Maki criavam muitas oportunidades, mas fartavam-se de falhar, ora por má pontaria, ora pelas grandes intervenções do jovem guarda-redes Coio, formado no 1º de Agosto.

A par disso, a atitude positiva apresentada pelos visitantes funcionou. Olharam de frente para  adversário, que vinha com o objectivo de ganhar o jogo, e não demonstraram inferioridade, embora tenham permitido que os campeões nacionais criassem várias oportunidades para marcar.

Zoran Maki alinhou uma equipa com algumas mexidas, a pensar nos dois próximos jogos a doer, um diante do Interclue e, outro, nas Afrotaças, frente ao Sportive du Sael da Tunísia, daí ter poupado alguns jogadores.

No reatamento o técnico sérvio não perdeu tempo e mexeu no xadrez da sua equipa com as entradas do avançado Razaq e do médio Mongo, com o objectivo de chegar a vantagem. 

Nesta altura, os campeões nacionais passaram a ter um conjunto muito ofensivo adicionando Jacques, Nelson e Geraldo aos dois que haviam entrado no segundo tempo. Apesar do domínio, a equipa do rio seco encontrava muitas dificuldades para passar por Coio, que esteve bastante atento. Aliás, foi das melhores unidades do seu conjunto. Contudo, Mongo aos 65´, não economizou no seu potente remate fora da grande área e bateu pela primeira vez o jovem guarda-redes do Desportivo da Huíla.

Zoran Maki
1º de Agosto


“Foi importante ganhar”
\"Faltou mais concentração ao grupo. A jogar contra o 1º de Agosto e sofrer dois golos no primeiro tempo fica muito difícil dar a volta a isso, mas os meus jogadores foram bravos, e tentaram reverter a situação, infelizmente não conseguimos. Felicito o 1º de Agosto pela vitória. Os meus jogadores sabiam das dificuldades que teriam pela frente e da necessidade de manterem a concentração, mas infelizmente aqueles dois golos condicionaram o nosso plano, mas valeu a atitude que eles demonstraram diante de um adversário forte\".

Mário Soares
Desportivo da Huíla


“É uma derrota que dói”
\"Queríamos vir buscar um bom resultado, mas infelizmente não conseguimos devido a uma falha de marcação. É uma derrota que dói, mas fomos uma equipa muito unida, jogamos bem, e obrigamos o 1º de Agosto a falhar, porque as falhas deles foram derivadas da nossa forma de jogar. Estivemos perto de conseguimos um bom resultado, foi um jogo quase perfeito, mas falhamos num momento decisivo\".