Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Militares tm calendrio difcil

Jorge Neto - 06 de Setembro, 2015

1 de Agosto vai disputar quatro drbis dos seis jogos que restam para o trmino do Girabola

Fotografia: Jornal dos Desportos

Na trajectória do conjunto orientado pelo bósnio Dragan Jovic surgem quatro dérbis, com o Petro de Luanda, Interclube, Atlético Sport Aviação (ASA) e Benfica de Luanda, sem esquecer o desafio com a equipa sensação da competição, o Progresso da Lunda Sul, assim como o Recreativo da Caála que está encetar uma fuga da zona de despromoção.

O técnico-adjunto Filipe Nzanza perspectivou um cenário difícil para os rubro-negros, mas mostrou confiança em a equipa conseguir resultados positivos para no final do campeonato se fazerem as contas.

"Vai ser uma recta final muito difícil, vão ser dérbis atrás de dérbis, a começar com o Petro de Luanda, depois vamos ao Libolo jogar para a Taça de Angola, a seguir o Interclube e o Benfica por ai, e são jogos que autênticas finais. Sabemos que serão jogos difíceis com equipas do topo mas o nosso objectivo é ganhar os jogos para ver aonde vamos chegar até ao fim do campeonato", disse o antigo médio militar, cuja equipa vai ter ainda que discutir uma eliminatória dos oitavos-de-final da Taça de Angola, na Vila de Calulo, diante do Recreativo do Libolo.

Os militares ocupam a quarta posição no Girabola com menos sete pontos em relação ao líder Recreativo do Libolo, quando faltam seis jornadas para o final do campeonato e 18 pontos por disputar, mas não dependem de si para conquistar o título.

A formação do rio seco vai trabalhar durante o final de semana todo, sem folga, de modos a melhorar os aspectos de finalização e não só, que têm prejudicado a equipa, sobretudo nos últimos dois jogos, diante do Sagrada Esperança da Lunda Norte e do Sporting de Cabinda, onde os seus ataques ficaram em branco.