Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Militares vencem drbi e carimbam passe

Jorge Neto - 16 de Maio, 2019

O 1 de Agosto iria aproveitar o ambiente menos bom que se viveu para carimbar

Fotografia: Kindala Manuel|Edies Novembro

Depois de alguma incerteza e expectativa se teríamos ou não o jogo no Estádio dos Coqueiros, devido a "ameaça" dos atletas do Progresso do Sambizanga, que condicionaram à entrada em campo com o pagamento das dívidas (salários e prémios) por parte da direcção, prevaleceu o bom senso e o dérbi iniciou com um atraso de cerca de 15 minutos.
Quando tudo parecia que o 1º de Agosto iria aproveitar o ambiente menos bom que se viveu para carimbar o passe com distinção, foi o adversário quem teve a ousadia de tomar as rédeas da partida com Chiló aos 3' a surpreender tudo e todos e bater o guarda-redes Neblú. 
Valeu a tarde de inspiração do avançado Mabululu que marcou os dois golos e, permitiu carimbarem o passe para às meias-finais, num triunfo por 2-1, numa partida que se encaminhava para a marca das grandes penalidades. Valeu a máxima de que no aproveitar está o ganho. Uma falha defensiva permitiu a viragem do resultado.
Apesar do mau momento dos pupilos de Hélder Teixeira, nem sequer fizeram os habituais exercícios de aquecimento antes da partida, os sambilas  em vantagem mantinham o maior ascendente em campo.  Povoaram a zona defensiva contrária e os pupilos de Dragan Jovic tiveram bastantes dificuldades para passar a muralha do adversária. Pedi e Chiló deram trabalho a defesa agostina que contou com a presença de pouco habituais de Mingo Bile e Bonifácio.
Depois de tanto atacar os rubro e negros igualaram o marcador aos 20´ por Mabululu, num golo bem efeito, numa espécie de chapéu não dando qualquer hipótese ao guarda-redes Nelson que ainda se fez ao lance.
Com o empate, os militares dominavam o jogo e apostaram na paciência para transpor a bem estruturada defesa sambila, que tiveram como alternativa o contra-ataque e conseguiam importunar o guarda-redes Neblú, que teve de se empenhar a fundo nas vezes em que foi chamado a intervir.
No segundo tempo o técnico militar não perdeu tempo e lançou dois jogadores ofensivos Dago, Aquino e Ary Papel numa clara intenção de mudar o quadro e chegar a vantagem pela primeira vez no jogo. O empate persistia e caso assim terminasse os dois conjuntos iriam decidir o resultado final na lotaria das grandes penalidades.
Os agostinos queriam evitar essa situação que moralizava ainda mais o adversário, que nada tinha a perder. Aliás, eram os pupilos de Dragan Jovic os favoritos e aqueles que tinham a obrigação de passar para às meias-finais da competição.
Foi assim que Mabululu aos 85´ fez o golo que ditou a vitória dos militares, após uma assistência involuntária de um defesa adversário. No frente a frente com Nelson atirou a contar para os festejos dos seus adeptos.

Arbitragem
Sem influência

O trabalho do árbitro Paulo Talaia não sofre qualquer contestação nem influência no resultado final. O juiz soube gerir o desafio que não contou com casos polémicos dada a preocupação dos atletas em jogarem apenas a bola. Poucos cartões amarelos foram mostrados e a partida decorreu com bom ritmo.

Hélder Teixeira
“Esta equipa é guerreira”

\"Passamos por algumas situações antes do jogo que vocês já conhecem. Mas, dizer que esta é uma equipa guerreira e que passa por situações financeiras, que afectam a nossa sociedade e o nosso clube não foge à regra. Fizemos um bom jogo, lutamos e vendemos cara a derrota, pois obrigamos o 1º de Agosto a correr atrás do resultado. Infelizmente falhamos em alguns lances e perdemos o jogo".

Ivo Traça 
"Sabíamos que seria difícil"

Sabíamos que seria muito difícil jogarmos contra o Progresso. Sempre que jogamos preparam-se bem e nos criam bastante dificuldades, apesar do momento menos bom que estão a atravessar. Vamos agora nos preparar para o Girabola onde vamos enfrentar o Kabuscorp do Palanca na última jornada e depois pensarmos nas meias-finais da Taça de Angola, onde também queremos vencer esta competição".

Melhor em campo
Eficácia de Mabululu

O trabalho do árbitro Paulo Talaia não sofre qualquer contestação nem influência no resultado final. O juiz soube gerir o desafio que não contou com casos polémicos dada a preocupação dos atletas em jogarem apenas a bola. Poucos cartões amarelos foram mostrados e a partida decorreu com bom ritmo.