Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Miller antev jogo duro

Paulo Caculo - 19 de Março, 2016

Tcnico dos palanquinos antev um jogo difcil esta tarde frente aos militares da Regio Sul

Fotografia: Jornal dos Desportos

O central Mingo Sanda, o lateral Mussumari, o médio Massassi e o avançado Chole são as quatro grandes contrariedades de Miller Gomes para o jogo do Kabuscorp com o Desportivo da Huíla agendado para hoje, às 15h30 no Estádio dos Coqueiros, a contar para a quinta jornada do Girabola Zap.

Os quatro habituais titulares e peças fundamentais na manobra da equipa palanquina, à semelhança dos desafios com a Académica do Lobito e Porcelana do Cuanza Norte, voltam a ser baixa na recepção da visita ao Desportivo da Huíla, por razões distintas: o central está com paludismo, enquanto os restantes condicionados recuperam de problemas físicos. Miller Gomes antevê jogo difícil com o Desportivo da Huíla. O treinador do Kabuscorp lamenta as ausências, mas deixa claro os objectivos da equipa de vencer o jogo.

"Trabalhámos a semana a pensar no Desportivo da Huíla dadas as características dos huilanos, digerindo o mau resultado da jornada anterior", disse.

"Em todos os jogos procuramos vencer, sabemos que o adversário vem com a mesma intenção e intuito, mas temos responsabilidades  e sabemos quais são os nossos objectivos e queremos consolidar cada vez o espírito de grupo, que só é possível com vitoria e é assim que amanhã vamos entrar à procura dos três pontos", acrescentou.

O treinador deplorou o facto de não  contar com Mussumari, Mingo Sanda, Chole e Massassi, sublinhou o facto de serem "peças de base do Kabuscorp que há duas ou três jornadas não têm vindo a jogar".

"O processo de recuperação é lento e outros são por doença e não podemos fazer nada para que possam voltar. Os que estão no processo de recuperação de lesões está a ser lento, mas estamos a trabalhar para contermos esta dificuldade", acrescentou Miller Gomes.



Kabuscorp avalia capacidade do Desportivo 

O Kabuscorp do Palanca tem hoje nos pés a oportunidade de se redimir da derrota inesperada no reduto do Porcelana do Cuanza -Norte. Os comandados de Miller Gomes defrontam às 16h00 o Desportivo da Huíla no Estádio dos Coqueiros, partida que está despertar algum interesse em função do arranque do Desportivo da Huíla que é segundo classificado do Girabola com menos dois pontos do que o 1º de Agosto, o que significa que a equipa de Ivo Traça desperdiçou dois pontos dos 12 possíveis.

Nem a previsão mais optimista apontava esse arranque da equipa militar da Região Sul. Sem dúvidas, é um início de campeonato surpreendente por  tratar-se de uma equipa pequena, ou seja, com objectivo “eternamente” de  manter-se na primeira divisão.A pergunta a seguir a todos esses predicados é se o Desportivo da Huíla tem pernas para aguentar a passada. Sem desprimor, até agora defrontou  equipas do seu campeonato, Sagrada Esperança, Porcelana, Progresso do Sambizanga e por último o 1º de Maio.

Na quinta jornada, enfrenta um “grande” em fase de reabilitação e com maior expressão competitiva. Conserva ainda experimentados jogadores como Lami e no ataque reúne extremos capazes de desmontar qualquer estratégia defensiva, como Mano.Atadas todas as razões, é com naturalidade que se pode atribuir ao Kabuscorp do Palanca o favoritismo. Algo que se traduz num exercício de probabilidades, porque é no relvado o melhor lugar para se dirimir equívocos e reclamar supremacia.

Os palanquinos sabem que uma derrota esta tarde compromete a  motivação de discutir de perto com outros o título do Girabola2016, enquanto para o adversário era um resultado encarado com naturalidade, por todas as valências que a formação de Luanda tem.No Cuando Cubango, o 4 de Abril de João Machado recebe a Académica do Lobito. Um jogo entre equipas do mesmo campeonato, ou então com os mesmos objectivos: lutar para manter-se na Primeira Divisão.

As duas formações apresentam uma prestação semelhante em quatro jogos disputados. Uma vitória para cada e três derrotas. O representante das terras do progresso tem a possibilidade de somar seis pontos e distanciar-se do pelotão que caminha na cauda da tabela.

O principal trunfo é o público, porque a qualidade competitiva não difere uma da outra.

Sambilas tentam
segunda vitória

O Progresso do Sambizanga tem na frente o 1º de Maio de Benguela, depois de alcançar a primeira vitória no Girabola. Os sambilas tinham a corda ao pescoço, melhor dito o seu treinador, e a vitória arrancada em terreno alheio atenuam os ânimos.Em casa, Albano César tem obrigação de repetir o feito alcançado no reduto do 4 de Abril. Porém, enfrenta um adversário que travou no Lubango o Desportivo, impôs o primeiro empate ao seu oponente.

Ambas têm quatro pontos, são adversários directos, ainda que o Progresso Sambizanga não aceite o facto. Os adeptos assim como a direcção exigem prestação melhor, por reunir jogadores com outra qualidade, como Yano, por exemplo.Um resultado que não seja a vitória pode destapar outra vez o véu do desânimo, da direcção e dos adeptos. Albano César melhor que ninguém está consciente da pressão que repousa sobre os ombros. Vencer ou vencer, é único caminho para o treinador devolver a tranquilidade ao balneário.
Texeira Cândido


IVO TRAÇA
“Vontade de vencer anima o grupo”


O técnico do Desportivo da Huíla Ivo Traça apontou a determinação, a garra e a vontade de vencer como as principais virtudes que  caracterizam a postura da equipa no desafio com o Kabuscorp, hoje à partir das 15h30 no Estádio dos Coqueiros, para a quinta jornada do Girabola ZAP.

“Vamos apresentarmo-nos com uma equipa muito determinada, aguerrida, com muita vontade de contrariar o máximo possível o Kabuscorp e vencer. Vamos chegar lá e jogar aberto nas missões ofensivas e fechados ao máximo nas tarefas defensivas. Vamos aproveitar cada erro do Kabuscorp e fazer o golo quando isso acontecer”, definiu Ivo Traça.

Com o propósito de concretizar o desiderato do triunfo, Ivo Traça reforçou que a equipa vai adoptar a atitude e postura que catapultaram o Desportivo para a  segunda posição da prova, em que a formação huilana está invicta com dez pontos, fruto de três vitórias e um empate.

A preparação semanal permitiu elevar os níveis físicos, técnico-tácticos e o moral do grupo, factores que concorrem para o bom comportamento da equipa em campo, fazer um bom jogo e lutar para não perder, de acordo com o técnico que referiu por isso, que o grupo está em prontidão.

“Vamos manter a atitude que temos tido e a determinação que nos mantém imbatíveis. Tudo apostos depois de uma semana de muita alegria e muito trabalho frutífero para todos os aspectos”, definiu.

Humilde, mas sempre confiante, o chefe da equipa técnica dos militares da Região Sul revelou respeito ao adversário. “Sabemos que vamos jogar contra uma grande equipa que é o Kabuscorp, bem orientada por um treinador muito experiente e que conhece bem o futebol angolano. É um candidato ao título que merece todo o nosso respeito”, expressou.

Ivo Traça referiu que a equipa goza de saúde e está completa, com excepção do avançado Chiquinho e do lateral direito Kumaca, ausências confirmadas devido a lesão. “Sim, a equipa está completa salvo o Chiquinho e o Kumaca que ficam de fora. Aqueles que estiveram bem, são eleitos para o jogo. Clinicamente podemos considerar que estamos bem. Não temos problemas de cartões, não temos pendentes administrativos, tudo nos conformes. E quando assim é, a equipa respira saúde e está bem e dentro das suas forças”, caracterizou.
Benigno Narciso, no Lubango