Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Mrio Soares revela dificuldades

Benigno Narciso, no Lubango - 08 de Novembro, 2018

Fotografia: Edies Novembro

O técnico do Desportivo da Huíla, Mário Soares, confessou que a equipa atravessa enormes dificuldades no capítulo da preparação, devido a incapacidade financeira que a direcção do clube enfrenta para a realização de um estágio pré-competitivo fora da província, assim como para a disputa de jogos de controlo durante o interregno de três semanas que o Girabola Zap 2018/2019 vai observar.
“Estamos bastante limitados financeiramente, não temos capacidade. Oxalá que a sorte sorria, que surja um convite para jogos ou que haja condições financeiras, mas é muito difícil porque o Desportivo está com muitas dificuldades no período da preparação. Está a ser um ano em que temos que superar todas as nossas competências para fazer com que o Desportivo faça um campeonato tranquilo”, revelou.
Mário Soares referiu não existir, a nível da província da Huíla equipas de alta competição contra as quais o Desportivo possa actuar para avaliar, corrigir e potenciar as capacidades do grupo de modos a se alcançar os níveis desejados para a competição.
“É mais do que sabido que temos dificuldades de na nossa praça não conseguir jogos de controlo com adversários à altura. Seria bom se tivéssemos algum capital financeiro, sairmos e fazermos jogos com equipas de alta competição, mas estamos bastante limitados financeiramente”, desabafou.
Diante desse cenário e de modos a atenuar os efeitos negativos da falta de jogos durante as três semanas de paragem na competição, o técnico louvou o arranque do Girabairro do Lubango, que permitirá, na ausência do melhor, realizar quatro jogos com algumas das melhores formações que competem na prova.
Adiantou que apesar de esses adversários não oferecerem a réplica pretendida, ainda assim irá permitir testar e observar a capacidade e níveis de assimilação da equipa, principalmente na vertente táctica.
“Resta-nos as equipas do Girabairro, ainda bem que a prova cá da nossa urbe já arrancou, as equipa já estão a competir. Esperamos fazer três jogos e mais um na semana que retomar o Girabola e entrar na terceira jornada com quatro jogos, apesar de não terem a réplica competitiva que a gente pretendia. Mas prontos, será mais para testar e observar a capacidade de assimilação da garotada, principalmente em termos tácticos”, disse.
Os desafios das duas primeiras jornadas do Girabola Zap, em face aos contratempos que interferiram na programação, é considerado pelo técnico do Desportivo da Huíla, como os primeiros jogos pré-competitivos da época.
Esclareceu que para o arranque do campeonato é definido e aconselhável cumprir-se seis micro ciclos. Por este facto, a equipa técnica viu-se obrigada a planificar a continuidade e o encerramento da preparação da equipa no período do interregno de três semanas com a realização de quatro jogos de controlo.