Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Ningum pra a marcha dos militares

Antnio Flix - 30 de Maio, 2016

Muita malta previa outra sorte para os militares, na 14 jornada porque, na quarta-feira quando o Libolo antecipou a 15 para ganhar ao Desportivo

Fotografia: Santos Pedro

Este campeonato está de facto animado, está a dar gosto, pela competitividade que dá a ver, pelas surpresas de resultados que regista e, enfim, pela corrida ao título, em relação ao qual, na jornada que ontem terminou, 14ª,  vimos o campeão Libolo a despachar o Porcelana por fáceis 4-1, ainda por cima em casa deste, e também, já à noitinha nos Coqueiros,  onde o Petro de Luanda vulgarizou o Benfica de Luanda com a vitória por 2-0. A “Águia” está mal.

A perseguição e mais encetada por esse campeão Libolo e Petro de Luanda e ainda o Kabuscorp do, mas os  militares, no entanto, continuam de pedra e cal no comando, agora com 31 pontos.

Muita malta previa outra sorte para os militares, na 14ª jornada,  porque, na quarta-feira quando o Libolo antecipou a 15 ª para ganhar ao Desportivo  e sabia-se que ainda jogaria com o Porcelana ontem em Ndalatando, para somar pontos e despojar  a equipa do Rio Seco do comando.Só que o 1º de Agosto, pressionado como estava pelos citados concorrentes, não teve meias medidas para - passe a expressão - cilindrar os aviadores como aqueles pesados 3-0 aplaudidos pelos adeptos agostinos, estes que orgulhosamente fazem coro com a equipa técnica, sócios e adeptos de que... este ano, custe o que custar, o título vai ser "pintado" a rubro-negro.

O Kabuscorp do Palanca é que à saída da 14 jornada deu o ar da sua graça. É verdade ser já sem a pujança  dos anos passados, mas  com vontade de ir galgando terreno, a modos da galinha que grão a grão enche o papo.

Reprovou os estudantes do Lobito, isto é, a Académica do Lobito, com uma vitória, por 2-0, no estádio dos Coqueiros, num jogo onde embora o técnico palanquino, Mateus Agostinho “Bodunha”, diz ter saído satisfeito com a atitude dos seus jogadores...ouviu-se,  porém, o técnico visitante, Ernesto Kotel ,a dizer de viva voz que afinal a arbitragem fez “olhos grossos” em várias situações do jogo, especialmente numa situação em que envolveu o seu jogador Femi, que seria penálti.
 Dos polícias ninguém esperava que fossem "acordar" empate (1-1) com o 4 de Abril embora se reconheça que esta equipa do Cuando Cubango esteja a jogar futebol adulto, ela que só este ano está na primeira divisão.

 Porque quem viu na jornada Interior os polícias a baterem o pé diante dos militares do 1º de Agosto (3-3), no mínimo esperava assistir a  uma goleada arrasadora. Como não aconteceu, só prova que o campeonato está "rijo”, com surpresas várias de jornada a jornada. O Desportivo da Huíla está  dar a ideia de que costuma ser apenas animador da liderança nas primeiras jornadas. Já foi assim em 2014 e 2015 e não fuge à regra neste, onde comandou a prova até começar a somar derrotas sucessivas, sendo a última  ontem, em casa, frente ao Recreativo da Caála, por claros 3-1.

Essa  Caála, com a rédeas do técnico Alberto Cardeau com a vitória saiu da décima segunda posição. Está a ascender degraus, o que é bom foi bom, ronda onde sorte igual não teve o Progresso do Sambizanga.Os sambilas já vinham de uma derrota, por 2-0, diante do Petro de Luanda, e acabaram por consentir mais outra, por 1-0, frente ao Sagrada Esperança. Está tudo duro, realmente, para esta equipa que, já para a próxima jornada, tem pela frente o nada fácil Benfica de Luanda.

 O Sagrada Esperança da Lunda Norte saiu vitorioso e esquecer a derrota (2-0) diante do campeão Libolo na 13º jornada. Fica mais animado para encarar o Porcelana no próximo jogo, se esta não desistir da prova como ontem prometeu. Pior também está o ASA. Só não vêm a sua vertiginosa queda na classificação quem não quer.

A derrota pesada (3-0) diante do 1º de Agosto afundou os aviadores para a 14 posição. Quem diria!E quem diria igualmente os proletários de Benguela, que, ontem, a ganharem, por 1-0, durante a maior parte do tempo, deixaram a baliza escancarada para - vejam só ! - já aos 90+3 minutos o Progresso da Luanda Sul chegar ao empate. A formação visitante saiu a sorrir, com pontos repartidos no desafio.