Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

No podemos falhar mais

Paulo Caculo - 25 de Outubro, 2017

Beto Bianchi admite poder ganhar um dos trofus na presente temporada futebolstica

Fotografia: Jos Soares | Edies Novembro

 O campeonato ainda não acabou e Beto Bianchi não atira a toalha ao tapete, enquanto matematicamente for possível ao Petro de Luanda conquistar o Girabola Zap deste ano. O treinador considera ser absurdo perder o título pela segunda vez consecutiva, numa altura em que a análise aos números da equipa revela clara subida de produtividade.

"O futebol é imprevisível e podemos terminar a temporada com dois títulos ou sem nenhum. O importante é que nessa altura, estamos matematicamente em condições de aumentar os pontos do ano passado, altura em que fizemos 64 pontos e não fomos campeão. É absurdo, este ano, podemos fazer mais pontos ainda e não sermos campeão. Mas, o trabalho da equipa, analisando os pontos, é merecedor de elogios", disse Beto Bianchi.Apesar de admitir a hipótese de encerrar, mais uma vez, a época sem vencer o campeonato e a Taça de Angola, o técnico do Petro garante que mesmo o 1º de Agosto também pode ficar sem as duas competições, embora esteja em melhores condições de vencer o Girabola.

"Conversei com os jogadores e fui claro para eles que o Petro tem condições de ganhar as duas competições e pode ser que não leve nenhuma.
As únicas equipas que têm condições matemáticas é o 1º de Agosto e o Petro", acrescentou.Em relação à etapa final do campeonato e aos derradeiros adversários que terá que ultrapassar, nomeadamente o Santa Rita de Cássia (29ª) e o 1º de Maio de Benguela (30ª), Bianchi espera por um deslize do rival 1º de Agosto, que mede forças com o ASA (29ª) e o Kabuscorp do Palanca (30ª).

"Respeitamos muito todas as equipas e no final do Girabola qualquer rival vai ser complicado. As forças já não serão as mesmas no final do campeonato, porque os jogadores já vêm cansados, não só os do Petro, como das demais equipas também, e o nosso principal adversário vai lutar para conseguir o título", esclareceu.De acordo ainda com o treinador do Petro de Luanda, a grande preocupação prende-se em preparar muito bem a equipa, estudar bem os rivais e não abdicar da parte psicológica dos jogadores, porque considera ter muita influencia no rendimento da equipa em campo."Estamos a fazer isso dia-a-dia com os jogadores, porque a pressão é máxima e não podemos falhar mais nenhum jogo. Com toda esta pressão, a condição psicológica dos jogadores tem que ser trabalhada", afirmou.


TAÇA DE ANGOLA
Recepção ao Maquis
abordada esta manhã


O técnico do Petro de Luanda, Beto Bianchi, faz hoje, ao final da sessão de treino desta manhã, a análise ao jogo com o FC Bravos do Maquis, agendado para amanhã, às 16h00, no estádio 11 de Novembro, referente à primeira mão das meias-finais da Taça de Angola.

Antes da conferência de imprensa, marcada para as 10h30, Beto Bianchi orienta o último treino antes da recepção aos maquisardes, no campo relvado Osvaldo Saturnino "Jesus", no Catetão. Deste apronto, sairão os jogadores a serem convocados para o difícil embate da meia-final da segunda maior competição do calendário da FAF.

Complicada que está as aspirações da equipa em assaltar a liderança do campeonato, entregue ao 1º de Agosto, é expectável que os tricolores depositem todas as apostas na conquista da Taça de Angola, de formas a acautelarem um fecho de época menos sofrível. O grande objectivo da equipa às ordens de Beto Bianchi é evitar que o ano volte ser uma nulidade em termos de conquistas, à semelhança do que fora, aliás, a época de 2016, ano em que os tricolores deixaram escapar o título entre os dedos, fruto da igualdade averbada frente ao Benfica, na penúltima jornada.

Dada a necessidade que os tricolores têm de vencer a Taça, ao contrário de outros jogos, o técnico do Petro não deve fazer poupanças, sendo provável que venha a apostar na principal estrutura óssea da equipa.         
PC