Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

No temos dados do nosso adversrio

BENINGNO NARCISO- LUBANGO - 24 de Fevereiro, 2018

O desfalque do experimentado atleta obriga o treinador a proceder a alteraes foradas na equipa, sem contudo, abalar a estrutura

Fotografia: Jornal dos Desportos

O técnico do Desportivo da Huíla, Mário Soares, aponta o desconhecimento das capacidades e qualidades do FC do Cuando Cubango, como a dificuldade para vencer amanhã a partir das 15h30 no Estádio do Ferroviário, no Lubango, o desafio pontuável para a terceira jornada do Girabola Zap 2018.
“Não temos dados do adversário. A única observação feita, foi no jogo com o Petro e não deu indicativos suficientes. Queríamos mais dados, pois, temos consciência que se trata de uma boa equipa, com capacidade e qualidades para nos criar dificuldades”, destacou.
Disse mais adiante, que o facto de estar melhor na tabela de classificação, merece todas as cautelas. “Estão melhor na tabela classificativa do que nós, com três pontos. Ainda não vencemos, e isso é motivo de alerta para as dificuldades que teremos”, perspectivou o treinador da formação do Lubango.Considerou, que a posição do oponente na tabela classificativa, impõe respeito ao Desportivo, que espera por enormes dificuldades. “Não temos esperança de termos um jogo fácil, pelo contrário, trabalhamos os índices motivacionais da rapaziada para que não sejamos surpreendidos”, preveniu.Diante da previsão de dificuldades, Mário Soares espera que a equipa faça melhor do  que caracterizou a prestação do Desportivo nas duas primeiras jornadas, em que obteve dois empates (1-1 e 0-0), frente a dois candidatos ao título, Interclube e Sagrada Esperança da Lunda - Norte.
 “Temos confiança que os golos e as vitórias vão aparecer. Trabalhamos para termos a sorte a acompanhar os audazes. É isso, que pretendemos para o jogo, espero que seja nessa jornada. Não estivemos bem nas duas primeiras jornadas, vivemos momentos de infelicidade por falta de eficácia. Nos últimos dias trabalhamos o nosso princípio e temos alguma consistência defensiva, por isso, acredito que vamos conseguir”, exteriorizou.
O experiente médio Manucho Diniz, uma das principais unidades da equipa, é a grande ausência de vulto na equipa afecta à Região Militar Sul. O desfalque do experimentado atleta obriga o treinador a proceder a alterações “forçadas” na equipa, sem contudo, abalar a estrutura, de acordo com o técnico que tem o foco, única e exclusivamente virado para o triunfo, sem desprimor pelo adversário.      
BN