Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Nova direco aposta na formao

Isidoro Natalcio, em Ndalatando - 15 de Junho, 2016

Jorge Pereira quer angariar patrocinadores

Fotografia: Nilo Mateus

A formação de treinadores e de árbitros, a continuação dos campeonatos nas categorias de seniores, juvenis e juniores, a Taça de Angola e a Supertaça, os incentivos à prática das modalidades, assim como a realização de torneios em feminino e ainda a criação de um pequeno banco de dados, são as principais actividades a serem desenvolvidas pela nova direcção da Associação Provincial de Futebol do Cuanza Norte (APFCN).Reconduzido ao cargo de presidente de direcção, Jorge Pereira disse que a formação de quadros incide principalmente no dirigismo, considerado o lado mais fraco e depois o de treinadores, para  melhor acompanhar a dinâmica da evolução da sociedade.

Disse que na perspectiva do banco de dados vai fazer-se um levantamento da população futebolística na província. “Vamos abarcar todas as actividades oficiais e oficializadas, desde o Movimento Espontâneo, Amangola, para sabermos quantos somos a praticar futebol e em que escalões”, disse.Dentre as intenções do elenco directivo empossado no sábado, constam  a resolução de questões correntes da Associação, sobretudo os que se prendem com a melhoria da dignidade da instituição, quer ao nível de infra-estruturas,  como do funcionamento.

No quadriénio 2016/2020, a APF propõe-se a aprovar o  Estatuto e o Regulamento, angariar financiadores e trabalhar com o Governo provincial, na criação de mais campos em bairros, escolas e arrelvamento dos existentes.No relatório de balanço dos últimos quatro anos, a APF constata com satisfação o empenho das autoridades dos municípios de Lucala, Bolongongo e Banga, na abertura e reparação de campos e lamenta a participação deficiente de alguns clubes nas provas realizadas, devido à falta de patrocínios e a degradação das vias de acesso.“Constatamos insucessos no que tange à prática do futebol feminino, pois, devido a falta de incentivos, limitou-se a  abrangência e por esta razão, não logramos os resultados preconizados”, lê-se no documento.