Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Nuno Eduardo volta a soprar o apito

Betumeleano Ferrão - 28 de Setembro, 2016

Nuno Eduardo, volta a receber o voto de confiança

Fotografia: Jornal dos Desportos

O árbitro Nuno Eduardo saiu do "garrafão", onde foi remetido a partir do polémico jogo Porcelana FC - Petro de Luanda, volta a receber o voto de confiança do Conselho Central de Árbitros de Futebol de Angola "CCAFA". O juiz apitou no fim-de-semana, a partida Desportivo da Huíla 1 - 1º de Agosto 4, pontuável para a 25ª jornada do Girabola ZAP e deixou boa impressão.

A nomeação do jovem aconteceu depois de mais de um mês, dos graves incidentes verificados no Cuanza Norte, que estiveram na origem do  afastamento. A grande penalidade assinalada fez com que o desfecho do jogo fosse marcado por algum tumulto, motivo que levou o CCAFA a suspender de imediato o juiz, com duas jornadas consecutivas sem apitar.

Antes do regresso, Nuno Eduardo recebeu o primeiro sinal de perdão, ao ser indicado para 4º. árbitro, no 1º de Maio 0 - Petro de Luanda 2. A escolha do juiz para integrar a equipa de arbitragem de Hélder Calenga causou estranheza em alguns associados do conselho, mas pelos vistos o elenco de Muluta Prata decidiu dissipar todas as dúvidas, e levantar a suspensão do jovem.

O CCAFA, na voz do vice-presidente Belmiro Carmelino, reconheceu em entrevista publicada a semana passada pelo Jornal dos Desportos, que a suspensão do árbitro foi decidida depois de acessos debates entre os membros e os associados.

As opiniões divergentes entre os comissários e árbitros não salvaram de imediato o jovem do castigo, mas pelo que parece o organismo decidiu "dar mão à palmatória" e recuar na decisão, acabou por reabilitar  Nuno Eduardo na jornada do final de semana do Girabola Zap.

A suspensão em nada afectou o desempenho, no embate entre o Desportivo e o 1º de Agosto. O árbitro assinalou na segunda parte um penálti contra a equipa caseira, mas desta vez ninguém ergueu a sua voz para protestar contra a decisão do árbitro.

MAURO DE OLIVEIRA
O árbitro Mauro de Oliveira, suspenso em simultâneo com Nuno Eduardo,  continua no "garrafão" do CCAFA. O jovem deixou de apitar desde às últimas três jornadas e está a dois jogos de atingir o número limite, como referiu o vice-presidente Belmiro Carmelino.

O juiz é uma das grandes apostas do conselho, mas é também dos árbitros que mais penalizações sofre. Antes de ser suspenso devido os três  penáltes que deixou passar em branco, no jogo Libolo 0 - 1º de Agosto 0, ele e os seus colegas estiveram envolvidos numa outra polémica no Caála - 1º de Maio, permitiram que Hélder Teixeira se sentasse no banco de suplentes dos proletários, alegaram não conhecer o técnico.

A direcção da Caála queixou-se à FAF, mas os árbitros acabaram por ser ilibados, depois de  estar quase um mês suspensos. O castigo do trio foi levantada de imediato, e o treinador foi considerado único culpado, acusado de ludibriar a equipa de arbitragem.

O técnico foi apontado como culpado, por não comparecer na vistoria e ter depois entrado em campo para orientar o 1º de Maio, sem estar licenciado pela Federação Angolana de Futebol, para o efeito.