Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Nzuzi Andr promete "mexer" no plantel

Jlio Gaiano, em Benguela - 02 de Junho, 2016

Tcnico deixa na equipa jogadores com qualidade e determinao

Fotografia: M. Machangongo

O técnico principal do 1º de Maio de Benguela, Nzuzi André, deixou claro que só ficam no plantel jogadores que se revêem com o seu estilo de jogar, prometeu afastar alguns e reforçar a equipa com outros, com melhores atributos que o mercado local oferece.

Em declarações ao Jornal dos Desportos, o técnico proletário disse que estão no 1º de Maio de Benguela jogadores com falta de qualidade técnica - táctica, pelo que jamais deviam fazer parte do plantel.

O treinador assegurou proceder  a ligeira mexida,  e se possível reforçar com cinco atletas de alto nível competitivo. No dizer do técnico, urge a necessidade de se proporcionar a qualidade.

“Alguns jogadores que aqui estão, sinceramente, não deveriam fazer parte do 1º de Maio de Benguela. Falei com alguns membros da direcção, no sentido de se reforçar os três sectores, defesa, meio campo e ataque, com alguns jogadores de qualidade", disse.

"Acredito que seremos bem sucedido, porque a direcção está atenta e tudo vai fazer para que o nosso desejo se concretize, em função dos objectivos preconizados para a presente campanha”, revelou.

Ciente da responsabilidade que carrega, Nzuzi André afirmou que caso continue no comando técnico, somente actuam na sua equipa atletas que realmente primem pelos interesses do clube que os contratou.

“Para mim, só joga na equipa aquele que sabe honrar as cores do clube. Para isto, deve pautar pelo profissionalismo. Nada de moleza. Uma equipa à minha imagem e que sabe estar em campo: competente, e que imponha respeito aos seus adversários”, sublinhou.

O técnico proletário espera que na segunda volta da prova, o 1º de Maio de Benguela se apresenta melhor que na primeira volta, isto é, com uma equipa mais forte, determinada, e comprometida com o futebol que lhe é característico.

Nesta perspectiva, Nzuzi André considera ser oportuno reestruturar o plantel em toda a sua dimensão funcional (táctica, técnica, física e psicológica) e capaz de cultivar, no seio do grupo, o espírito de conquistas.

OBJECTIVO
Manutenção na prova
é grande prioridade


Apesar da posição incómoda em que a equipa se encontra na classificação, em penúltimo, com 14 pontos, o técnico do 1º de Maio de Benguela garantiu estarem reunidas as condições materiais e psicológicas para a presença da equipa no Girabola ZAP.

“Para que tal aconteça é preciso uma reformulação ao plantel. Precisamos de melhorar nalguns aspectos, impor alguma disciplina táctica e trabalhar na habilidade técnica de alguns jogadores", disse o técnico.

Nzuzi Andre, considerou que a " permanência da equipa depende da atitude e do desempenho da equipa em campo. Há muitos pontos por disputar. Os objectivos preconizados pela direcção continuam intactas”.

Visivelmente confiante nas suas convicções, Nzuzi André tranquiliza a massa apoiante: “podem ter a certeza, que enquanto estiver na liderança do comando técnico, o 1º de Maio de Benguela permanecerá na primeira divisão. Foi para isto que aceitei o desafio, que  passa por salvar a equipa de uma possível hecatombe”.

"Estamos a formar
uma equipa forte"


O técnico dos proletários sublinhou que  "estamos a formar uma equipa forte a defender e eficiente a atacar”, e prometeu incidir grande parte do seu trabalho na vertente psicológica, de forma a elevar os ânimos dos jogadores que têm a dura missão de recuperar a mística do clube, perdida no tempo.

Já na condição de treinador principal na sua estreia, Nzuzi André viu a equipa empatar a um golo com o Progresso da Lunda Sul, no jogo da 13ª jornada do Girabola Zap2016, o que para muitos aficionados do clube foi um começo a “roçar”a negativa.

Apática, desestruturada e sem alma, a equipa abanou por completo. Deixou-se levar pelo adversário, que por sorte, só no tempo de compensação e neutralizações (90’+3’) anulou a vantagem proletária construída no minuto 53.

O facto deixou muita gente aborrecida e com o receio da “sobrevivência” do 1º de Maio de Benguela, na primeira divisão.
Há quem pense o contrário, a julgar pelo número de pontos que restam por disputar na presente competição (48 em 16 jornadas), mas o técnico Nzuzi André é um dos que apesar de tudo acreditam na melhoria da prestação da equipa, já à partir da 2ª volta da competição.
JG