Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

"O 1 de Agosto no uma equipa qualquer"

Jlio Gaiano, Benguela - 05 de Maio, 2016

Tcnico proletrio esboa onze altura do jogo porque o adversrio deu provas suficientes do que quer nesta poca futebolstica

Fotografia: Nuno Flash

O 1º de Maio de Benguela volta aos trabalhos hoje de manhã e à tarde, no relvado do  Estádio Municipal Edelfride Costa "Miau", com vista o  desafio com o 1º  de Agosto, no domingo às 18h00, no Estádio Nacional 11 de Novembro, em Luanda, referente à 11ª jornada do Girabola Zap.

 A vertente técnica domina a sessão da manhã e com uma peladinha, na sessão da tarde. Também vai ter um reforço para a acção psicológica já que não perder em Luanda é o objectivo. A viagem para o palco da contenda é sábado de manhã, pode o regresso à procedência ser nas primeiras horas de segunda-feira.

Ciente da situação, o técnico professor Nfinda Mozer prepara um grupo à altura do jogo, pois o adversário já deu provas suficientes do que  quer nesta época, em que está
a realizar uma das melhores campanhas dos últimos dez anos na prova.

A equipa técnica, atletas e responsáveis querem viver o jogo e tanto é assim, que a direcção prepara uma caravana composta por 500 pessoas, para torcerem no domingo pelo triunfo da equipa.

Na última deslocação realizada à capital, o 1º de Maio de Benguela perdeu para o Petro -Atlético de Luanda, por 1-3, numa partida marcada por dois clamorosos erros defensivos,  bem aproveitados pelos tricolores do Eixo -viário que não precisaram de se empenhar  a  fundo para somarem os três pontos.

Desta vez, é contra o 1º de Agosto, um sério e assumido candidato à luta pelo título do GirabolaZap2016. O adversário possui um plantel recheado de bons executores de bola. Jogadores com forte mobilidade em campo. Correm muito e exploram, com precisão os pontos fracos do adversário, pelo que torna-se perigoso errar ao defrontá-lo.

O técnico dos proletários, Joaquim Nfinda “Mozer” e os seus pupilos, trabalham a todo vapor para anular o adversário, explorar  ao máximo os seus pontos fracos para  que passam justamente, na dupla de centrais (indisciplinada tacticamente), e o lado esquerdo defensivo (pouco móbil na transacção da defesa ao ataque).

“É daí onde incidirão os nosso esforços”, comentou o capitão proletário, Tobias, para quem faz sentido pensar positivo, voltar de Luanda com um triunfo e brindar a massa apoiante do clube . “O importante é não perdermos no embate”, disse.

“Mas o 1º de Agosto não é uma equipa qualquer. Merece respeito e admiração de todos os seus oponentes. Para além do ataque “mortífero”, apresenta uma linha média sólida e conduzida competentemente por Jumisse e Ibukum, o que justifica a força e a capacidade de liderança na prova, pese embora, estar a denotar alguma quebra física nos últimos jogos”, reforçou.

“Aqui está o segredo da sua falibilidade, pelo que tudo está a ser feito para que no domingo, as coisas corram a contento e que o cansaço se aposse dos militares, ante o estoicismo e altivez dos proletários que prometem apresentar-se de fato macaco”, disse ainda.

As notícias que surgem da cidade capital revelam a disposição dos agostinos,  para o confronto de domingo. O facto de virem de uma vitória (2-1) sobre o Desportivo da Huíla  aumente o ânimo e garante  trabalhar para repetir o feito diante dos proletários.