Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Outro recuo

Edvaldo Lemos - 04 de Abril, 2019

Maquisardes voltam a atrapalhar objectivos dos comandados de Toni Cosano

Fotografia: Agostinho Narciso | Edies Novembro

A missão do Petro em procurar despojar o 1º de Agosto da liderança do campeonato, não está fácil. Quando se pensou que os tricolores pudessem manter a diferença de quatro pontos (sem contar com os 2 jogos que têm em atraso), eis que voltaram a claudicar, pois ontem não tiveram capacidade para saírem do Luena com os três pontos no duelo diante do FC Bravos do Maquis, não obstante o domínio evidenciado nas duas partes do desafio. 
A superioridade no marcador a partir dos 38´, golo de Wilson, acabou por não ser consistente até ao final do jogo, pois os maquisardes precisaram apenas de nove minutos para anular a vantagem do adversário, isso aos 45+2´, período em que Careca fez o empate.    
A vitória na ronda passada, ante o Sagrada Esperança, por 2-0, deu ao Petro ânimo para chegar e fazer um grande jogo e resultado no Mundunduleno. Contudo, no campo não foi assim, Ou seja, os comandados de Toni Cosano não tiveram capacidade para superiorizar-se aos comandados de Zeca Amaral.
Ainda assim, dizer que a equipa do Petro entrou determinada em busca da vitória, com forte pressão nos minutos inicias do jogo, tendo Job, em duas ocasiões, aquecido as luvas do guarda-redes Agostinho, do FC Bravos do Maquis.
A liberdade na zona intermédia do Maquis fez que com Caranga, médio do Petro de Luanda, tirasse dois adversários do caminho e obrigado o guarda-redes Agostinho a uma saída arrojada, tendo com uma palmada colocado a bola fora da área.
Contudo, Agostinho não teve a mesma capacidade para evitar com que o central Wilson, do Petro de Luanda, aos 38´, marcasse o primeiro golo do jogo, ao aproveitar bem de cabeça, um pontapé de canto.
Apesar do golo sofrido, os donos da casa não baixaram a cabeça. Melhor, os maquisardes acreditaram que nada estava perdido, tendo dado resposta aos 45+2´, isso é, no tempo de compensação, com Careca a fazer o golo do empate, período em que o Petro foi dominador do jogo. 
O espanhol Toni Cosano, treinador do Petro, começou  a segunda parte do jogo com mexidas, ao colocar em campo Toni e Além. Isso permitiu aos tricolores agigantarem-se no terreno, pois Zeca Amaral, do Maquis, optou por recuar a equipa.
Uma missão que quase colocou o Maquis em situação de desvantagem, porém salva pelo guarda-redes Agostinho que, diga-se de passagem, esteve em dia sim.