Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Paizinho perspectiva Petro mais forte na segunda volta

Aro Martins, no Lubango - 07 de Julho, 2015

Paizinho diz que jogar ao lado de atletas experiente redobra a responsabilidade

Fotografia: Aro Martins

O avançado Paizinho, 20 anos, ascendeu este ano à equipa sénior do Petro de Luanda, garantiu, em entrevista ao Jornal do Desportos, que o trabalho que está a ser feito é de grande responsabilidade, o que permite criar um conjunto muito forte na segunda volta do Girabola, que começa já no próximo fim-de-semana.

O jogador, que é uma promessa para o futebol nacional, disse, que a sua integração no grupo está a ser boa, porque encontrou jogadores e uma equipa técnica unida.“Temos um excelente técnico, que aposta muito na juventude e em particular em mim. A equipa técnica, liderada pelo professor Alexandre Grasseli, tem me dado oportunidade, desde a pré-época que fizemos na África do Sul”, disse.

“A equipa técnica dá muita confiança e acredita em mim, tenho muito para aprender e cada vez que sou chamado, procuro, fazer aquilo que me compete, daí a minha integração no plantel estar a ser boa”, a crescentou.Paizinho, disse que jogar ao lado de jogadores com tarimba, no Petro, redobra a responsabilidade de qualquer jogador e explicou, que com humilde  está ao lado de jogadores que já viu a jogar.

 “Hoje compartilho o mesmo balnear, aconselham-me muitas vezes, como o Chara, Lamá, Job, Mabiná, que têm encorajado muito os novos jogadores que ascendem de categoria. Na qualidade de jovens jogadores, agradecemos e vamos continuar a cumprir”, sublinhou.O avançado afirmou, que todo jogador que é chamado a representar o Petro Atlético de Luanda, tem de ter sempre o espírito ganhador.“Tal realidade é incutida desde as camadas de formação. Não está em causa ganhar nestes escalões, mas depois cria-se o espírito de vitória. Na equipa sénior não muda. O lema é ganhar sempre”, disse.

ESTA ÉPOCA
“Ainda é possível
conquistar o título”


O atacante do Petro de Luanda, disse, que apesar da diferença de dez pontos em relação ao Recreativo do Libolo, que é o líder do Girabola, a equipa ainda pode chegar ao título. “Já vi equipas, que estiveram muito mal na primeira volta, e na segunda conseguiram ganhar o título. Acredito, que a diferença pontual, não é muito assustadora”, sublinhou.

O jogador lembrou, que basta haver espírito ganhador conforme está acontecer nesta fase do interregno, e disse a seguir, “a maneira como nos vamos empenhar na segunda volta, pode ser determinante, se entrarmos com a motivação e moral alto, podemos alcançar o título ou qualquer Taça para o Petro de Luanda este ano”, garantiu.Paizinho reconheceu que o Girabola, deste ano, está muito competitivo, porque basta verificar a diferença na tabela de classificação. Tranquilizou, neste sentido, à massa associativa do Petro Atlético de Luanda e fez o apelo para  confiar no trabalho que está a ser desenvolvido pela direcção e equipa técnica e jogadores tricolores..

“A mensagem é que acreditem no Petro e no trabalho que está a ser feito agora, e que pode dar frutos no futuro. Mesmo agora, é só terem muita paciência, porque essa equipa ainda vai dar muitas alegrias ao povo angolano, em particular o povo petrolífero”, tranquilizou.
O sonho de representar os Palancas Negras, está sempre com o avançado e, para tal, considera que o Petro de Luanda pode ser o trapolim, assim como alimenta o desejo de um dia poder jogar no  estrangeiro, sobretudo na Europa, na Alemanha ou Inglaterra, pelo Arsenal.
“Passa-me sempre pela cabeça jogar pela Selecção Nacional. Acredito que todo jovem angolano que joga futebol, tem o sonho  de representar o país. Na qualidade de jogador do Petro Atlético de Luanda, o destino é estar nos Palancas Negras. Estou e vou continuar a trabalhar para atingir tal desiderato e ajudar o país a conquistar vitórias”, prometeu.                                    AM

DESEMPENHO
“Almejamos realizar
melhor prestação”


Paizinho, o “jovem avançado do Petro de Luanda" acredita que a primeira volta do Girabola não foi das melhores, porque  a equipa não fez bons resultados, obteve só 20 pontos ao cabo de 15 jornadas. “Não é bom, para uma equipa, do patamar do Petro de Luanda. Estamos a trabalhar para fazer mais na segunda volta. Pretendemos entrar da melhor forma, a ganhar já o primeiro jogo frente ao Sporting de Cabinda, muito importante para os índices de confiança aumentar”, disse.

O jogador disse, que a integração de jogadores jovens, faz crer numa equipa muito forte no futuro. “Acredito que essa juventude, do pouco que está a mostrar e a trabalhar, num futuro não muito distante, o Petro de Luanda vai ter uma equipa muito forte”, anteviu.O jovem atleta, garantiu, que na qualidade de atacante, tem trabalhado muito para concretizar o maior número de golos. “Na equipa técnica temos o técnico-adjunto Flávio Amado que já fez muitos golos e tem passado a mesma mensagem para os avançados da equipa fazerem golos, por ser o principal condimento de alcançar a vitória”, disse e reconheceu que “infelizmente ainda não comecei, mas prometo trabalhar para que na segunda volta os golos surjam”.