Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Paralisao no ASA

Augusto Panzo - 01 de Novembro, 2016

Aviadores reclamam igualmente da direco do clube o pagamento de algumas tranches dos contratos

Fotografia: Jose Soares

Os jogadores da equipa de futebol do Atlético Sport aviação (ASA) decretaram paralisação parcial desde ontem, em função da dívida salarial, entre a direcção e estes, e sobretudo, com relação às últimas três tranches referentes aos contratos, que já se arrasta desde o meio deste ano.Ontem, depois de se apresentarem no campo "Joaquim Dinis", os pupilos de José de Carvalho "Corola" decidiram, por  unanimidade, suspender os treinos por tempo indeterminado, até que seja resolvida a questão em causa.

Contudo, o Jornal dos Desportos apurou que, apesar da decisão tomada em tom de ira, os atletas aviadores voltam hoje ao local de treino, a fim de saberem como fica definitivamente a situação.O problema já se arrasta há quase três semanas, porque mesmo na véspera do jogo com o Petro de Luanda, os pupilos às ordens de Corola já vinha se recusando de treinar, devido às mesmas causas.

Na altura, como forma de alerta ,o Jornal dos Desportos anunciou essa tendência, infelizmente foi mal interpretado pela direcção do ASA, que alegou estar o matutino  a atacar o clube. O mesmo voltou a acontecer, na semana passada, em que os aviadores deviam preparar-se para o embate com o 1º de Agosto. Não o fizeram, apareceram no Estádio 11 de Novembro  para cumprir calendário, evitavam com isso, que fosse aplicado um castigo ao clube aeroportuário, susceptível de suspensão,  como mandam os regulamentos federativos.

Entretanto, à última da hora, o JD soube de fonte próxima à direcção, que o presidente Elias José esteve reunida ainda na manhã de ontem com o treinador Corola, com o propósito de acertos, com vista a ultrapassar o impasse, e concomitantemente, a tendência de paralisação.O ASA vive tempos conturbados nos últimos quatro anos, traduzidos na falta de orçamento financeiro capaz de suportar os encargos, devido aos problemas económicos conjunturais que o país vive, que atingem os potenciais patrocinadores do clube.Por força disso, mais uma vez, um dos dois sobreviventes do Girabola Zap, desde a fundação da prova nacional (1º de Agosto é o outro), luta pela permanência até à última jornada na presente época, a ser disputada no fim-de-semana,  cujo resultado  depende a "salvação" ou  "queda" deste velho clube luandense.