Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Parceria a eliminar

Betumeleano Ferro - 21 de Setembro, 2019

Fotografia: Jos Cola | Edies Novembro

O Girabola Zap está longe do ponto de rebuçado, porque só vai na quinta jornada, mas é possível que o 1º de Agosto, Interclube e Caála estejam incomodados com a parceria que os estorvam na classificação. Curiosamente, o trio supracitado entra em cena amanha, às 15h00, o detalhe está na ansiedade que começa a ser real em deixar para trás quem aparece a atrapalhar a passada, pois, os nove pontos que cada um soma, tornam evidentes que são do mesmo campeonato.

A viver um verdadeiro momento de bonança, dentro e fora de Angola, o 1º de Agosto vai ao 4 de Janeiro visitar o Santa Rita de Cássia para provar que tem capacidade para  sentar-se em várias cadeiras. O campeão está mais vivo do que nunca, por isso, os seus adeptos fazem contas apressadas, o susto com o Progresso do Sambizanga serviu para acordar o dragão do sono, agora, o lema dos militares é somar e seguir rumo ao tão ansiado tetra.

Os militares quase que não têm tempo de passear no santuário dos católicos, as muitas dificuldades acabam por dar motivação extra,  para todos realizarem uma exibição irrepreensível, o campeão vai puxar dos galões tão logo o árbitro apite para o arranque e fazer  prevalecer a lei do mais forte. A indesejável sombra que faz o 1º de Agosto ver vários adversários com os mesmos  nove pontos, até certo ponto, reduz a margem de erro dos  rubro - negros, por isso, os três pontos vão ser mais do que imprescindíveis para impedir os rivais de verem aparentes sinais de fraqueza.

A precisar de todos os pontos possíveis para começar a fugir do último lugar, o Santa Rita  bem que gostava  de inverter a lógica do sorteio, realmente, esse é o pior momento para receber o confiante 1º de Agosto. Os católicos sabem que vão ter de nadar contra a corrente,  para evitar o afogamento caseiro, ou a equipa dá tudo o que tem e contraria todas as probabilidades, com pelo menos um empate ou vai complicar as contas, que aos poucos fazem os fiéis adeptos ver a despromoção.

Os militares sabem que todos estão à espera de um triunfo extramuros, mas é o doce passado que vai impedir a equipa de jogar para as bancadas. O adversário está longe de ser temível, mas tem de ser a força competitiva do 1º de Agosto a fazer a diferença no Estádio 4 de Janeiro, jogar a campeão para além de porem os católicos nos seus devidos lugares, também, vai aumentar as chances de vencer.

POLÍCIAS NO CUITO 

O Interclube está competitivo e recomenda-se, mas durante 90 minutos os polícias vão ter de parar de olhar para o saudoso passado, para se concentrarem  nas dificuldades extramuros,  ante  um  Cuando Cubango FC. O Estádio dos Eucaliptos tem as mesmas dimensões do Estádio  22 de Junho, assim, o Interclube tem todas as condições favoráveis para impedir que o adversário tire vantagens das dimensões reduzidas do relvado, as circunstâncias são iguais para os dois, pelo que vai ser a qualidade a servir de juiz justo para quem mostrar obra no último terço.

A intermitência de resultados do Cuando Cubango FC é o rochedo oculto que deve estar a tirar o sono ao Interclube, mas é responsabilidade dos polícias manter a tranquilidade no relvado para prenderem  os três pontos. Uma eventual surpresa não está posta de lado, os anfitriões sabem que mostrar o peito não é nada aconselhável, mas o contragolpe pode ser eficaz para render nem que seja um pontito.

O Clube Recreativo da Caála (CRC) deu um passo em falso, na jornada passada, mas em casa diante do FC Bravos do Maquis tem a soberana chance de corrigir o percalço perante os seus adeptos. Os maquisardes estão a acompanhar o bom começo do CRC e vão esticar o passo para sobreviver em casa alheia. O CRC nem por isso está sob pressão, então, pode querer passar a bola para o Maquis agarrar o jogo, esse é apenas um dos detalhes capazes de serem determinantes no resultado final.