Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Passo lento para o "Tri"

Betumeleano Ferro - 07 de Junho, 2018

Militares levam vantagem de 4 pontos sobre o rival tricolor na tabela de classificao

Fotografia: Kindala Manuel | Edies Novembro

As vit?rias gordas misturadas com boas exibi?es tamb?m valem tr?s pontos, como as magras. ? essa a estrat?gia certeira, at? agora, que o 1? de Agosto usou para p?r em sentido os rivais na corrida pelo t?tulo. Mesmo sem convencer, seis das nove vit?rias foram por 1-0, os militares fizeram o mais importante nos 14 jogos da primeira volta, foram eficazes sempre que poss?vel e abriram quatro pontos de vantagem sobre o Petro de Luanda, segundo classificado.

Os receios da mudan?a no comando t?cnico ainda persistem, mas no plano desportivo ningu?m pode duvidar que Zoran Maki conhece o caminho da consagra??o, a equipa cont?nua com fome e sede de t?tulo, foi a mais regular de todo o primeiro turno, a ?nica que j? provou que conhece todos os ingredientes necess?rios, para fazer o cozido do campe?o.

As muitas vit?rias apertadas renderam 18 pontos, sem d?vida os mais preciosos alcan?ados, porque revelaram que o 1? de Agosto sabe que o sacrif?cio vem antes da gl?ria. Todos os campe?es s?o feitos com enorme suor e l?grimas, assim ? f?cil ler nas entrelinhas, qual o futuro da equipa que nas horas cr?ticas cumpre sempre com a sua obriga??o: vencer.

O percurso dos militares ficou beliscado pelas vacas magras, entenda-se exibi?es que deram motivos de queixas aos adeptos, mas at? nesse particular a equipa conseguiu ser melhor do que todos os rivais, pois quem est? a olhar para cima n?o ? o que menos jogou, s?o os que aparentavam ser vistosos em campo, mas acabaram atrasados pelo desperd?cio.

Ainda a espera da hora da verdade, agora s? pode chegar na segunda volta, o Petro de Luanda teve de fazer pela vida para se manter de p? na corrida do t?tulo, os castigos federativos e as les?es prejudicaram em demasia o campe?o dos campe?es, mas h? motivos para acreditar que talvez as coisas seriam diferentes, se o tricolor n?o morresse na praia nas Afrota?as, a fase de grupos esfumou-se no cair do pano.

O tempo e o imprevisto atrasou mas n?o matou a esperan?a tricolor de chegar ao t?tulo, as ?ltimas jornadas da primeira volta testemunharam o \\\"regresso\\\" do Petro de Luanda, ? verdade que as exibi?es e os resultados foram incapazes de devolver os pontos perdidos, por?m, trouxeram de volta o candidato ao t?tulo do Girabola Zap, quem duvidou recuperou a cren?a com o renascimento da equipa.

Sem Afrota?as, o tricolor vai apostar todas as fichas no campeonato, a frescura f?sica pode ser um aliado de peso, mas ? a correcta atitude competitiva que vai fazer toda a diferen?a nas contas finais.?

O atraso de 4 pontos n?o ? grande coisa, contudo, deixa uma mensagem clara e intelig?vel: o Petro de Luanda entra na segunda volta sem margem de erro, tem de fazer um campeonato de recupera??o, fica claro que ningu?m vai cobrar aproveitamento de cem por cento, 42 pontos em 14 jogos, mas a colheita final tem de superar a do 1? de Agosto, para que at? ao lavar dos cestos haja vindima.

As bocas do presidente Alves Sim?es s?o insuficientes, para apagar da mem?ria colectiva a falta de apetite demonstrada pelo Interclube em momentos cruciais da primeira volta. Os pol?cias foram das gratas surpresas do turno inicial mas baquearam quando n?o deveriam. A equipa mostrou compet?ncia para ir buscar pontos em terrenos adversos, por?m se esqueceu dos oponentes da sua bitola, perdeu de maneira seguida com o 1? de Agosto e Petro, 6 pontos.

Se a diferen?a do topo s?o 5 pontos, nem ? necess?rio recorrer ? calculadora para concluir que, em dois jogos, os pol?cias borraram a boa pintura num abrir e fechar de olhos. Um melhor aproveitamento contra militares e tricolores seguramente resultariam numa melhor pontua??o, mesmo que o Interclube empatasse contra os actuais rivais.

O Kabuscorp do Palanca e o Recreativo do Libolo tamb?m entraram no Girabola Zap com o r?tulo de candidatos, mas por motivos diferentes, castigo da FIFA que retirou 6 pontos aos palanquinos, e sangria do plantel, quest?es financeiras por detr?s da debandada nos libolenses, fazem com que as duas equipas estejam j? afastadas da corrida pelo t?tulo, a menos que nos surpreendam com um milagre.